07 maio 2010

Transferência do Grandes Sons


Após um simpático convite o Grandes Sons vai mudar-se para a plataforma de blogues do Sapo a partir deste fim de semana.
O endereço será http://grandesons.blogs.sapo.pt/ e ficará automaticamente redireccionado a partir desta velha morada.

06 maio 2010

05 maio 2010

Pop Dell`Arte editam primeiro álbum em quinze anos


Os Pop Dell`Arte estão de regresso aos álbuns. «Contra Mundum» sai a 14 de Junho.

O disco celebra 25 anos de carreira, embora nos últimos 15 apenas tenham apresentado de novo o EP «So Goodnight».

O quarto álbum de originais dos Pop Dell` Arte é uma edição de luxo, limitada e numerada – que inclui um booklet de 24 páginas ilustradas e um poster de face dupla. O anterior «Sex Symbol» data de 1995.

in Disco Digital


04 maio 2010

Melody Gardot na Casa da Música e CCB





A norte-americana Melody Gardot vem à Casa da Música, dia 6 de Julho, e ao Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, dia 7 de Julho, apresentar o último álbum de originais, “My One and Only Thrill”, editado em Maio do ano passado.

O disco, segundo longa-duração da cantora, consolidou-a como uma das vozes mais importantes do jazz actual, tendo alcançado o segundo lugar do top da categoria nos Estados Unidos e o 12º lugar do top inglês.

Budista e cozinheira de macrobiótica, Melody Gardot encanta pelo timbre único da sua voz, em composições da sua própria autoria, inspiradas em grandes nomes da música americana, como Judy Garland, Miles Davies ou Duke Ellington.

CASA DA MÚSICA - SALA SUGGIA (6 DE JULHO)
ABERTURA DE PORTAS * 21H00
INÍCIO DO ESPECTÁCULO * 21H30

CCB - GRANDE AUDITÓRIO (7 DE JULHO)
ABERTURA DE PORTAS * 20H00
INÍCIO DO ESPECTÁCULO * 21H00



MELODY GARDOT - BABY I'M A FOOL

www.melodygardot.com
www.myspace.com/melody


BILHETES À VENDA AMANHÃ, 5 DE MAIO, ÀS 10H00!

CASA DA MÚSICA - SALA SUGGIA (6 DE JULHO)
PLATEIA * 28,00 EUROS

CCB - GRANDE AUDITÓRIO (7 DE JULHO)
1ª PLATEIA * 32,00 EUROS
2ª PLATEIA * 30,00 EUROS
1º BALCÃO * 25,00 EUROS
2º BALCÃO * 23,00 EUROS
CAMAROTES CENTRAIS * 30,00 EUROS
CAMAROTES LATERAIS * 20,00 EUROS
BALCÃO LATERAL * 17,00 EUROS
LATERAIS * 25,00 EUROS
GALERIA EM PE * 15,00 EUROS

FNAC, WORTEN, CTT (WWW.CTT.PT), EL CORTE INGLÉS,
CENTRO CULTURAL DE BELÉM, AGÊNCIAS ABREU, AGÊNCIA ABEP,

C.C. DOLCE VITA (AMADORA, FUNCHAL, COIMBRA, OVAR, VILA REAL E PORTO),
E TICKETLINE: (RESERVAS: 707 234 234 E WWW.TICKETLINE.PT).

EM ESPANHA: BREAKPOINT (WWW.BREAKPOINT.ES)

03 maio 2010

Obrigado , Sapo

O 4º aniversário do Grandes Sons merece hoje o destaque do Sapo.
Obrigado!

Orelha Negra

Comprei a edição em vinil e devo dizer que soa ainda melhor.
Grande disco, parabéns Orelha Negra!

01 maio 2010

Quatro Anos de Grandes Sons!



Começou numa tarde de Maio de 2006 (precisamente no dia 1) e foi-se mantendo até hoje.
De 1 de Maio de 2006 a 1 de Maio de 2010 por aqui passaram muitos concertos, muitos discos, muitas notícias, muitos nomes descobertos, outros que partiram e sempre o mesmo gosto pela música.
É para continuar.
Obrigado a todos que visitam o Grandes Sons!

Christina Aguilera - "Not Myself Tonight"

Regresso de Miss Aguilera

Christina Aguilera - Not Myself Tonight from Etternus Greco on Vimeo.

30 abril 2010

Alicia Keys no Pavilhão Atlântico: Pianinho



Regresso de Alicia Keys ao Pavilhão Atlântico para confirmar que é uma das melhores vocalistas/entertainers da actualidade no panorama R&B embora com um concerto uns furos abaixo do de há dois anos.

Há dois anos o Atlântico encheu-se no Dia do Pai para um concerto surpreendente de Alicia Keys com uma imagem e atitude em palco revolucionária em relação aquela com que ficámos de um final tarde no primeiro Rock in Rio. A menina tímida das belas canções ao piano tinha dado lugar a uma mulher solta no palco suportada por uma mega produção de palco ao nível do que de melhor divas da pop como Beyoncé já mostrava mundo fora. Em 2008, houve um concerto arrasador e inesperado de Alicia Keys a todos os níveis.

Agora em vésperas do Dia da Mãe, Alicia regressou ao mesmo local que registou um grande número de fãs mas longe da enchente de há dois anos. É inevitável recorrer à comparação entre as duas actuações e nesse aspecto não temos dúvidas em afirmar que este novo espectáculo não supera o da As I Am Tour. Na prática, Alicia está a apresentar um concerto revisto e actualizado com as canções do novo disco «The Element of Freedom».

O segredo que alimenta a estabilidade de Alicia no top está no facto de os seus discos terem sempre dois ou três enormes singles tocados à escala mundial e a gosto de todos os seus fãs. Assim se percebe o entusiasmo com que foram recebidos os momentos de interpretação de «Empire State of Mind», dedicado a Lisboa, ou mesmo de «Another Way to Die», momento alto mesmo sem a presença de Jack White nem imagens de James Bond.

Todas as qualidade de Alicia mantém-se intactas: voz carregada de alma, simpatia e respeito pela plateia, mantendo uma relação muito própria com as teclas que lhe deram fama e alcunha agora levada ao extremo quando se apresenta com um teclado em forma de chave usado como se de uma guitarra se tratasse.

jjoaomcgoncalves@gmail.com

in Disco Digital

Mão Morta no Alive

Os bracarenses Mão Morta, sem dúvida uma das mais importantes bandas portuguesas, estreiam-se no Optimus Alive!10, em ano de comemoração de 25 anos de carreira. Com o novo álbum, "Pesadelo em Peluche", editado dia 19 de Abril, os Mão Morta comprovaram que continuam tão sagazes e cortantes como sempre.

29 abril 2010

The Maccabees no Alive

Os londrinos The Maccabees são a mais recente confirmação para o Optimus Alive!10, onde sobem ao Palco Super Bock no dia 9 de Julho, juntando-se aos já anunciados, Steve Aoki, Bloody Beetroots Death Crew 77, Booka Shade, Gossip, New Young Pony Club, Holy Ghost! e Hurts.

WAKA WAKA - This Time for Africa - by Shakira - South Africa 2010 World Cup Official Song

28 abril 2010

How to Destroy Angels

É este o nome do novo projecto de Trent Reznor o homem dos Nine Inch Nails. How to Destroy Angels é Reznor mais a sua mulher Mariqueen Maandig, ex vocalista das West Indian e já há divulgação antes do ep que há de sair no verão:
Twitter, MySpace, Facebook, YouTube, Vimeo e website.

27 abril 2010

América Latina em destaque no FMM Sines - Festival Músicas do Mundo 2010

As músicas da América Latina, da Argentina à comunidade hispânica dos Estados Unidos, passando pelo Brasil, Colômbia e Peru, estão em evidência na programação do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo 2010, que decorre entre 23 e 31 de Julho, em Sines e Porto Covo. Quatro dos sete concertos que agora se revelam são estreia em Portugal e há também uma estreia absoluta na Europa.

O “programa latino” do FMM 2010 começa ainda em Porto Covo, no dia 24 de Julho, com a actuação de LA 33 (COLÔMBIA), uma das mais interessantes orquestras de salsa da actualidade. Formada em 2002, em Bogotá, La 33 grava o primeiro disco, homónimo, em 2005, tornando-se a sua versão salsa do tema da Pantera Cor-de-Rosa, de Henry Mancini, um êxito entre DJ’s de todo o mundo. As rumbas de “Gonzalo” (2007) merecem o prémio de disco do ano da revista Semana e uma nomeação para os Grammy latinos. O seu último trabalho, “Ten Cuidado” (2009), retoma o som da salsa dos anos 60 e 70, e será a base do concerto em Porto Covo, a estreia de La 33 em Portugal.

No dia 27 de Julho, no Auditório do Centro de Artes de Sines, actua o quinteto de tango 34 PUÑALADAS (ARGENTINA). Formado em 1998, grande parte do seu percurso artístico foi dedicado a explorar o repertório mais sombrio da canção argentina das décadas de 20 e 30, com os seus discos “Tangos Carcelarios (2002 e 2004), “Slang” (2005) e “Argot” (2006), cantados em lunfardo, o calão do submundo de Buenos Aires. Em 2009, lançam “Bombay Bs.As.”, com letras e melodias originais, considerado pela imprensa argentina o disco de tango mais original dos últimos anos e “o começo de uma nova era” para o género (La Nación). É a segunda vinda do grupo ao FMM, depois da presença em 2005.

A cantora CÉU (BRASIL) sobe ao palco do Castelo de Sines na noite de 28 de Julho. Criada numa família paulistana de forte cultura musical, Céu decide tornar-se cantora aos 15 anos. Grava o seu primeiro disco, “CéU”, em 2005, com aclamação imediata da crítica e do público, obtendo duas nomeações para os Grammy, o n.º 1 na tabela de “world music” e o n.º 57 na tabela principal da Billboard, a posição mais alta atingida por um brasileiro desde Astrud Gilberto, nos anos 60. O seu segundo disco, “Vagarosa” (2009), situa-se num território entre a música brasileira e a música da Jamaica.

NOVALIMA (PERU), um dos grupos mais importantes da música afro-peruana, actua na Avenida Vasco da Gama, na madrugada de 28 de Julho. Formado em 2001, é o resultado da reunião de quatro jovens músicos peruanos cosmopolitas com alguns dos melhores músicos tradicionais da comunidade negra para criar uma fusão entre as antigas canções dos escravos e os recursos da música moderna. Depois de “Novalima” (2002), “Afro” (2005), melhor disco de fusão “world” nos prémios Independent Music Awards 2006, chegam a Sines para apresentar “Coba Coba” (2008), uma edição Cumbancha onde os ritmos afro-peruanos se cruzam com diferentes músicas latino-americanas, dub reggae, house e electrónica. Mais uma estreia em Portugal.

LAS RUBIAS DEL NORTE (EUA) fazem a sua estreia europeia no palco da Avenida Vasco da Gama, na tarde de 29 de Julho. Formado há sete anos, em Nova Iorque, por Allyssa Lamb e Emily Hurst, duas antigas cantoras clássicas, são um projecto que pensa como seria a música hoje se a revolução rock não tivesse derrubado o domínio da música latina que se verificava entre os anos 30 e os anos 50 do século XX. Com três discos gravados - “Panamericana”, “Rumba Internationale” e “Ziguala” (lançado em Março de 2010) -, recriam canções onde cruzam harmonias clássicas com boleros, valsas peruanas, huaynos dos Andes, rancheras mexicanas, guajiras cubanas, cumbias colombianas e influências de todo o espectro musical (de Mozart aos ABBA).

Considerada a melhor orquestra latina nascida nos Estados Unidos na última década, o GRUPO FANTASMA (EUA) apresenta-se no palco da Avenida Vasco da Gama na madrugada de 29 de Julho. Nascida no ano 2000 em Austin, Texas, junta a cumbia, a salsa, o bolero, o son montuno a estilos com o afro-funk, o jazz, a música psicadélica e o reggae. Com quatro Prémios Univisión de Musica Latina e a nomeação do seu quarto disco, “Sonidos Gold” (2008), para o Grammy de melhor disco de rock latino em 2009, o cantor e compositor José Galdeano e os seus nove companheiros chegam ao final da sua primeira década de vida com a crítica rendida à sua “versão séc. XXI do groove latino” (Boston Globe). Em Sines já ouviremos os temas de “El Existencial”, o quinto disco, que o grupo lança em Maio. Também uma estreia em Portugal.

FORRO IN THE DARK (BRASIL), companhia dos Gogol Bordello em digressão nos últimos meses e estreia nacional no palco da Avenida da Praia na madrugada de 30 de Julho, são um dos fenómenos mais recentes das músicas do mundo. Nascida em 2005 num clube de Nova Iorque, por um grupo de músicos brasileiros a viver na Big Apple, a banda Forro in the Dark cruza os ritmos tradicionais do forró nordestino com o dub, o indie rock, o funk e outras músicas. “Bonfires of São João” (2006), com a colaboração de David Byrne, Bebel Gilberto e Miho Hatori, e “Light a Candle” (2009) são os discos lançados até ao momento.

La 33, 34 Puñaladas, Céu, Novalima, Las Rubias del Norte, Grupo Fantasma e Forro in the Dark juntam-se a Staff Benda Bilili, The Mekons, Lole Montoya, Yasmin Levy, Sa Dingding e Guadi Galego como projectos já oficialmente confirmados entre os mais de 30 previstos para a 12.ª edição do FMM Sines.

26 abril 2010

Lady Gaga no Pavilhão Atlântico em Dezembro



É a estreia de Lady Gaga em Portugal. Concerto marcado para o Pavilhão Atlântico, Lisboa, 10 de Dezembro.

Os bilhetes serão colocados à venda no próximo Sábado (01 de Maio).

LOCAIS DE VENDA:
www.blueticket.pt www.pavilhaoatlantico.pt
Bilheteiras do Pavilhão; Lojas Fnac; El Corte Inglés (Lisboa); Agências ABEP e Alvalade; Media Markt;
Lojas Worten (Colombo, Vasco da Gama, Oeiras, Loures Shopping, Cascais, Seixal, Telheiras) Turismo de Lisboa; Arena de Portimão; 707 780 000


PREÇOS:
Balcão 2: € 50,00 (Lugares não marcados)
Balcão 2 GOLD: € 85,00 (Lugares marcados)
Balcão 1: € 85,00 (Lugares marcados)
Plateia: € 65,00 (Lugares em pé)
Rampas: € 50,00 (Mobilidade Condicionada)

25 abril 2010

Novo Disco dos National Para Escuta

Seguindo a grande dica do amigo V.J. do Juramento Sem Bandeira: "High Violet", o novo álbum dos National, sai a 11 de Maio, mas pode desde já ser escutado, na íntegra, no site do New York Times

B.B. King em Trás-Os-Montes!

B.B. King vai dar um concerto gratuito em Sabrosa (a 21 quilómetros de Vila Real) no dia 29 de Maio.

A actuação marcada para as 22h00, é uma iniciativa da Rota do Vinho do Porto. O mais recente álbum do guitarrista, «One Kinda Favor», data de 2008.

Caribou - Tour CD 2010



01 - Mix
02 - Selfish Boy
03 - Yusef
04 - Cellophane
05 - Sea Rea
06 - Gebre
07 - The Dauphin

Em jeito de festejo pelo dia de ontem em que comemorei mais um aniversário.

22 abril 2010

Jamiroquai no Sudoeste

São mais nomes para o festival alentajano: Jamiroquai, Sugababes e da Nova Zelândia os Lady Six.

O Regresso dos Sonic Youth a Portugal

Os Sonic Youth actuam hoje no Coliseu dos Recreios e amanhã no Coliseu do Porto.
O regresso da banda a Portugal acontece três anos depois de terem fechado o festival Paredes de Coura. Neste intervalo editaram o álbum «The Eternal», mas não é garantido que alguma canção do disco integre o alinhamento dos concertos.

in Disco Digital

21 abril 2010

Regresso dos Supertramp


Os Supertramp anunciaram a digressão "70-10", em celebração dos 40 anos da edição do primeiro álbum, "Supertramp", em 1970. A digressão começa dia 2 de Setembro em Halle, na Alemanha e inclui 35 concertos em vários países: Portugal (14 de Setembro no Porto e 16 de Setembro em Lisboa), França, Alemanha, Áustria, Suíça, Espanha, Itália, Bélgica, Holanda, Inglaterra e Irlanda.

Para além do criador, vocalista e teclista, Rick Davies, a formação conta com os lendários membros dos Supertramp, John Anthony Helliwell, saxofone e sopros, e Bob Siebenberg, bateria. A formação fica completa com outros músicos que já estiveram em digressão com os Supertramp: Jesse Siebenberg, voz, guitarra e percussão; Cliff Hugo, baixo; Carl Verheyen, guitarra, e Lee Thornburg, sopros.

Rick Davies e o técnico de luz, Michael Brian Duncan, estão a desenvolver uma nova produção que vai possibilitar ao público uma completa experiência do que são os Supertramp, um delírio sonoro e visual.

Os ensaios estão a decorrer em Nova Iorque e durante a actuação de mais de duas horas, os Supertramp vão tocar um número incrível de clássicos, onde se incluem "Bloody Well Right", "Dreamer", "From Now On", "Goodbye Stranger", "The Logical Song", "Rudy" e muitos, muitos outros.

PAVILHÃO ROSA MOTA (14 DE SETEMBRO)
ABERTURA DE PORTAS * 20H00
INÍCIO DO ESPECTÁCULO * 21H00

PAVILHÃO ATLÂNTICO (16 DE SETEMBRO)
ABERTURA DE PORTAS * 19H30
INÍCIO DO ESPECTÁCULO * 21H00

www.supertramp.com


BILHETES À VENDA SEXTA-FEIRA, 23 ABRIL, ÀS 10H00

PAVILHÃO ROSA MOTA (14 DE SETEMBRO)
PLATEIA EM PÉ * 32,00 EUROS
BANCADA * 34,00 EUROS
PAVILHÃO ATLÂNTICO (16 DE SETEMBRO)
PLATEIA EM PÉ * 34,00 EUROS
BALCÃO 1 * 40,00 EUROS
BALCÃO 2 * 30,00 EUROS


PAVILHÃO ATLÂNTICO (WWW.PAVILHAOATLANTICO.PT E 707 780 000),
FNAC, WORTEN, CTT (WWW.CTT.PT), EL CORTE INGLÉS, AGÊNCIAS ABREU, AGÊNCIA ABEP,
MEDIA MARKT (BENFICA, BRAGA, LEIRIA, PORTO, RIO TINTO, AVEIRO, SINTRA E ALFRAGIDE),
C.C. DOLCE VITA (AMADORA, FUNCHAL, COIMBRA, OVAR, VILA REAL E PORTO),
E TICKETLINE: (RESERVAS: 707 234 234 E WWW.TICKETLINE.PT).

EM ESPANHA: BREAKPOINT (WWW.BREAKPOINT.ES)

20 abril 2010

Guru morre aos 43 anos

Uma das figuras mais influentes do hip hop dos anos 90, Guru, morreu aos 43 anos.
O rapper e produtor havia sofrido um ataque cardíaco a 2 de Março. Desde então, encontrava-se em coma.

Em comunicado, pode ler-se que Guru sofria de um cancro há um ano e que nem os tratamentos a que foi sujeito o conseguiram salvar. Membro dos Gang Starr com DJ Premier, foi também autor do famoso Guru Jazzmatazz.

fonte Disco Digital

Fica a recordação de Guru neste fabuloso No Time to Play:

Guru Featuring Ronny Jordan and D.C. Lee - No Time To Play
Enviado por EMI_Music. - Videos de musica, clipes, entrevista das artistas, shows e muito mais.

Solomon Burke encerra Cascais CoolJazzFest 2010


O cantor Solomon Burke, com Joss Stone e o Club Des Belugas Orchestra, encerra dia 29 de Julho o Cascais CoolJazzFest 2010, anunciou hoje a produtora do espectáculo.

Cantor e compositor nascido em Filadélfia, em 1940, Solomon Burke compôs alguns temas conhecidos como "Cry to Me", que ficou sempre associado ao filme "Dança Comigo", "Down In The valley", cuja versão mais conhecida é cantada por Otis Redding, ou "Everybody Needs To Love", que ficou famosa no voz dos Rolling Stones.

Depois de ter visto o nome inscrito no Rock and Roll Hall of Fame em 2001, Solomon Burke editou o álbum "Don´t Give Up On Me" (2002), que inclui canções propositadamente escritas para si por músicos como Tom Waits, Bob Dylan, Brian Wilson, Elvis Costello ou Van Morrison.

Em 2006 editou "Nashville", dedicado à música country, uma das suas paixões - com a colaboração de Dolly Parton, Emmylou Harris e Gillian Welch, e "Like a Fire" que conta com temas escritos por Eric Clapton, Ben Harper e Keb´Mo´.

Joss Stone é uma compositora e cantora de soul e R&B que, aos 23 anos, já conta com quatro CD editados e vários Brit Awards, um Grammy e mais de 10 milhões de discos vendidos em todo o mundo.

O Club Des Belugas Orchestra - que iniciou a carreira em 2002 com o álbum "Caviar at 3 A.M."- é de origem alemã e tem cinco CD editados. A sua sonoridade combina jazz-swing com efeitos electrónicos misturados com black soul americano dos anos 1950, 1960 e 1970, e algumas batidas de samba jazz e bossa nova.

Chris Isaak, Norah Jones, Corinne Bailey Rae, Diana Krall, Elvis Costello & The Sugar Canes são alguns dos músicos que irão actuar no palco do Parque Marechal Carmona em Cascais durante o CoolJazzFest 2010. Deolinda, Orquestra Buena Vista Social Club feat e Omara Portuondo constam do programa do Mafra CoolJazzFest.

A edição deste ano do CoolJazzFest decorre no Parque Marechal Carmona e no Hipódromo Manuel Possolo, em Cascais, e em Mafra, no Jardim do Cerco da Tapada de Mafra

19 abril 2010

Crystal Castles e The Horrors a 4 de Maio

O concerto de Crystal Castles e The Horrors, comemorativo do primeiro aniversário da Nokia Music Store, vai ter lugar dia 4 de Maio no Coliseu de Lisboa. O concerto estava originalmente marcado para dia 17 de Abril, na mesma sala, mas teve de ser adiado devido à nuvem de fumo originada pela erupção de um vulcão na Islândia, que afectou fortemente o tráfego aéreo internacional e impossibilitou que as bandas viajassem para Portugal.

Os bilhetes adquiridos para o concerto de dia 17 de Abril são válidos para a nova data, sem ser necessária qualquer troca. Quem pretender pode proceder à devolução do bilhete e respectivo reembolso, no local de compra, no prazo máximo de 30 dias, que termina dia 16 de Maio.

Os bilhetes para a nova data são colocados à venda hoje, 19 de Abril, podendo ser adquiridos nos locais habituais.

Deolinda - Um contra o outro

Primeiro avanço para o novo disco dos Deolinda

18 abril 2010

Blur - Fool's Day

Tema original dos Blur a propósito do Record Store Day

16 abril 2010

Crystal Castles e The Horrors: Concerto Adiado

Como é do conhecimento público, a gigante nuvem de fumo originada pela erupção de um vulcão na Islândia está a afectar fortemente o tráfego aéreo internacional e esta situação impede que os Crystal Castles e The Horrors actuem amanhã em Portugal.

Lykke Li no Sudoeste

Além do regreso de Lykke Li a Portugal, o Festival Sudoeste vai contar também com a visita de James Morrison, Colbie Caillat e Jah Cure a 6 de Agosto.

Ornatos Violeta no documentário "Tempo de nascer"



Os cinco músicos que pertenceram aos Ornatos Violeta, uma das mais importantes bandas rock dos anos 1990, vão falar de tudo, sem tabus, no documentário "Tempo de nascer", filme de estreia de Gonçalo Castro.

O realizador, e produtor da rádio Antena 3, está a preparar um documentário biográfico sobre os Ornatos Violeta, que deverá estar concluído em 2011, quando se completarem 20 anos desde a fundação do grupo português.

A antecipar o que vai ser o documentário "Tempo de nascer", Gonçalo Castro vai editar nos próximos três meses um DVD com cerca de 15 minutos, que será uma espécie de "aperitivo" para o que está a ser preparado.

Os Ornatos Violeta duraram onze anos e editaram apenas dois álbuns - "Cão" (1997) e "O monstro precisa de amigos" (1999) - mas, apesar da vida curta, há um culto em torno da banda do Porto e em particular em torno do trabalho de Manel Cruz, autor da maioria das letras, e protagonista de outros projectos posteriores.

"Parece que hoje em dia há muita gente que ficou órfã dos Ornatos", explicou Gonçalo Castro à agência Lusa, recordando os fãs que seguem ainda hoje os cincos elementos do grupo.

O documentário, cujo título recupera um tema do grupo nunca editado em álbum, tem como fio condutor as entrevistas que Gonçalo Castro fez a cada um dos elementos do quinteto: Manel Cruz (voz), Peixe (guitarra), Elísio Donas (teclado), Nuno Prata (baixo) e Kinörm (bateria).

São eles que contam as histórias desconhecidas sobre os Ornatos Violeta e os episódios que marcaram o percurso, desde que se conheceram na infância e na escola de artes Soares dos Reis, no Porto, até à atualidade.

"Falam sobre o fim, explicam porque é que acabaram, falam de tudo. Não houve nenhum assunto tabu", sublinhou Gonçalo Castro, que se estreia na realização.

"A história dos Ornatos vai de 1991 até 2002. E de 1991 a 1997, quando sai o primeiro disco, muito pouco gente tem acesso a estas histórias", reforçou.

Antes de pensar sequer em fazer um documentário, a ideia de Gonçalo Castro era preparar um programa para a Antena 3 sobre bandas que marcaram a história da música portuguesa.

Do projecto radiofónico, Gonçalo Castro rapidamente passou para uma ideia maior que reunisse um documentário e um livro.

Actualmente, Gonçalo Castro tem cerca de 18 horas de entrevistas e quase todas as aparições televisivas dos Ornatos Violeta.

A isto junta fotografias e depoimentos, mas faltam-lhe mais imagens de arquivo, gravações caseiras de concertos do grupo, que ajudem a completar o puzzle.

Gonçalo Castro, 30 anos, que auto-financiou e produziu o documentário, tem ainda um blogue onde vai actualizando o processo de pesquisa e de rodagem e recebe tudo o que os fãs dos Ornatos Violeta enviarem de material de arquivo em http://monstruariodocumentario.blogspot.com/.

O último concerto dos Ornatos Violeta aconteceu no Hard Club, no Porto, a 30 de Novembro de 2002. Manel Cruz despediu-se dizendo "Até um dia", deixando a porta entreaberta para um regresso.

Sobre isso também eles falam no documentário e Gonçalo Castro reforça: "Acredito que os Ornatos ainda têm muito para oferecer".

15 abril 2010

Confirmações Oficiais do 18º Festival de Paredes de Coura

Informa a Everything is New:

Os lendários The Specials, expoente máximo do movimento SKA (ou 2 Tone) vêm ao Festival Paredes de Coura para uma celebração de trinta anos de carreira, recheada de grandes momentos e que só o público deste grande festival merece. Temas como “A Message To You Rudy, “Rat Race”, “Maggie’s Farm”, “Ghost Town”, entre outros hinos, farão parte certamente, da grande festa que se deseja nas margens do Rio Coura.

Grande fenómeno da cena indie-pop da actualidade, os britânicos Klaxons vêm ao Festival Paredes de Coura apresentar o seu novo álbum a editar ainda este ano. Diz quem já ouviu, que será um dos discos mais violentos que a Grã-Bretanha conheceu.

Pelo meio andarão temas de “Myths Of The Near Future”, o surpreendente disco de estreia desta banda, que, tal como já referimos anteriormente, são um dos maiores talentos descobertos nos últimos cinco anos e ao qual ninguém irá ficar indiferente, mas sim na expectativa do que os Klaxons nos trarão de tão supostamente rude.

Tal como os seus compatriotas Sex Pistols e The Clash, os britânicos Gallows, banda hardcore punk, fundem toda a raiva e indignação pelo estado da sociedade em que se encontram inseridos em riffs de guitarra fortes e gritos de revolta, pela voz furiosa de Frank Carter.

“Orquestra of Wolves”, o primeiro álbum da banda lançado em 2006, foi a ponte para “Grey Britain”, o segundo registo editado em 2009. Pelo meio, concertos nos melhores festivais por todo mundo fizeram dos Gallows uma das grandes revelações provenientes das terras de sua majestade. Para coroar, só mesmo a presença o Festival Paredes de Coura!
É o regresso do punk ao seu estado puro!

Banda post-hardcore, os britânicos Enter Shikari, fazem uso na sua música, de muitos efeitos sonoros sintetizados, misturados na força das guitarras.

O seu álbum de estreia, “Take To The Skies”, lançado em 2007, atingiu o 4° lugar no top de vendas en Inglaterra e fizeram parte da NME’s “New Noize 2007”, relativo a bandas com grande probabilidade de sucesso nesse ano, que incluía entre outros, os Arcade Fire, Hot Chip e Bloc Party, batendo certa a previsão, dada a popularidade conquistada pela banda nos quatro cantos do mundo.

Ao segundo álbum, “Common Dreads”, editado em 2009, a banda apresenta-se no palco principal do Festival Paredes de Coura.

Enraizados na cultura pop-punk britânica, os White Lies não negam as suas influências nos Joy Division, Echo & The Bunnymen ou Teardrop Explodes.

Este quarteto londrino lançou em 2009, “To Lose My Life”, único álbum gravado até à data, mas que já foi motivo suficiente para despertar a atenção nos média e no público em geral, recebendo inclusivamente prémios de algumas das mais prestigiadas revistas e britânicas, como a Q Magazine e a Mojo e sendo igualmente nomeados pelo NME e pela MTV, todos na categoria de melhor banda emergente.

Pouco há ainda para dizer acerca dos We Have Band, mas haverá certamente, muito para descobrir sobre este auto-intitulado “disco-rock trio”. Uma agradável mistura de pop dançável e electro, por alguns considerada uma mistura de Hot Chip com Talking Heads, que poderá ser comprovada no álbum de estreia “WHB”, editado este ano.

Como é hábito, o Festival Paredes de Coura terá mais uma vez, o prazer de dar a conhecer em primeira-mão, mais uma next big thing!


1) The Specials - "A Message To You Rudy", 2) Klaxons - "Golden Skans",
3) Gallows - "In The Belly Of a Shark", 4) Enter Shikari - "Sorry You're Not a Winner", 5) White Lies - "To Loose My Life" e 6) We Have Band - "Oh!".

www.thespecials.com
www.klaxons.net
www.gallows.co.uk
www.entershikari.com
www.whitelies.com
www.wehaveband.com
www.paredesdecoura.com


BILHETES À VENDA SEXTA-FEIRA, 16 DE ABRIL

PASSE 4 DIAS C/ CAMPISMO (ATÉ 17 DE MAIO) * 60,00 EUROS
PASSE 4 DIAS C/ CAMPISMO (A PARTIR DE 18 DE MAIO) * 70,00 EUROS

FNAC, WORTEN, CTT, SITE OFICIAL (WWW.PAREDESDECOURA.COM)
EL CORTE INGLÉS, AGÊNCIAS ABREU, AGÊNCIA ABEP,
C.C. DOLCE VITA (AMADORA, FUNCHAL, COIMBRA, OVAR, VILA REAL E PORTO),
E TICKETLINE: (RESERVAS: 707 234 234 E WWW.TICKETLINE.PT).

Jamie Liddel, Wild Beasts, St. Vincent no Super Rock

Jamie Liddel, Wild Beasts, St. Vincent e Tiago Bettencourt & Mantha são as mais recentes confirmações para o festival Super Bock Super Rock, segundo o site FESTIVAISPT.
Sendo assim temos o seguinte cartaz:

Dia 16
PET SHOP BOYS | KEANE | CUT COPY | JAMIE LIDELL | PALMA'S GANG | BEACH HOUSE | THE TEMPER TRAP | ST. VICENT | M-NUS SHOWCASE: RICHIE HAWTIN, Marco Carola e Magda

Dia 17
VAMPIRE WEEKEND | HOT CHIP | LEFTFIELD | TIAGO BETTENCOURT & MANTHA | PATRICK WATSON | RITA REDSHOES | RICARDO VILLALOBOS & ZIP

Dia 18
EMPIRE OF THE SUN | THE NATIONAL | JOHN BUTLER TRIO | WILD BEASTS | LAURENT GARNIER

Young Gods fazem música para Regina Pessoa

Não há ainda contrato assinado, mas o trabalho já está a decorrer: a banda suíça de rock industrial Young Gods, criada em 1985 e bem conhecida do público português, vai fazer a música para o novo filme de animação de Regina Pessoa, "Kali, o Pequeno Vampiro", com estreia prevista para o próximo ano.

"Através de uns amigos, conseguimos o contacto directo deles, enviámos o projecto do filme e já tive varias reuniões de trabalho. São muito acessíveis e muito simpáticos", disse a realizadora de "A Noite" (1999) e de "História Trágica com Final Feliz" (2005).

"Kali, o Pequeno Vampiro", que volta a ser produzido por Abi Feijó (Ciclope Filmes), vai completar uma trilogia sobre o tema da infância da animadora, que terá no "pequeno vampiro" um novo alter-ego, depois da menina que tinha medo da noite e da outra que sonhava ser pássaro.

A banda actualmente formada por Franz Treichler, líder e fundador, Al Comet, Bernard Trontin e que tem em Vincent Hännispecial uma aquisição recente foi a escolhida por Regina Pessoa porque a realizadora gosta "muito" do seu som "alternativo", e viu nele o suporte adequado à criação da atmosfera vampiresca do filme que tem já em produção.

Em aberto está, por outro lado, a possibilidade de a animadora vir a fazer um videoclip para um trabalho futuro dos Young Gods, que deverão lançar o seu novo disco ainda este ano.

A banda sonora de "A Noite"" foi assinada pelo músico e compositor Tentúgal (e inclui uma canção de embalar cantada pela mãe da realizadora); a de "Histórica Trágica com Final Feliz" foi feita pelo compositor canadiano Normand Roger (a versão portuguesa do filme é narrada pela vocalista dos Clã, Manuela Azevedo.

fonte Público

13 abril 2010

Flur comemora Record Store Day com DJs

A loja Flur, em Santa Apolónia, também vai aderir à iniciativa Record Store Day, tal como a portuense CDGO.com.

No dia 17, haverá uma presentação especial do Teatro Praga para o LP «Demo, Um Musical» de Kevin Blechdom, Christopher Fleeger e Andres Lõo e showcases de Magina - Pedro Magina dos Aquaparque, por ocasião da edição recente de «Nazca Lines», e de Bill Orcutt - por ocasião dos seus concertos na Culturgest (Porto) e Museu do Chiado (Lisboa). Para além destes, está previsto um Scratch Showcase de DJ Ride, DJing por Vítor Belanciano (Público), Nuno Galopim (Diário de Notícias), Rui Tentúgal (Expresso) e Bros com um convidado supresa e ainda uma exposição e visita guiada de capas de LP por Rui Miguel Abreu sob a temática «Electrónica e Espaço».

Ao balcão estarão Joana Bernardo (Radar FM), Isilda Sanches (Rádio Oxigénio), Joaquim Albergaria (Paus e ex-Vicious Five), Sérgio Hydalgo (Zé dos Bois) e Rui Miguel Abreu (Blitz e Antena 3). Há ainda uma promoção exclusiva online durante a semana para levantamento apenas no Record Store Day.

in Disco Digital

12 abril 2010

O Regresso de Flying Lotus em Grande Estilo

Flying Lotus , projecto de Steven Ellison (sobrinho de Alice Coltrane) está de regresso com novo álbum.
And The World Laughs With You ft. Thom Yorke, retirado do novo disco Cosmogramma a ser editado pela WARP brevemente é o tema que escolho para saudar o regresso de Flying Lotus.
Katahati79 40 vídeos

09 abril 2010

Sobre Malcom McLaren (1946-2010)

Sobre a morte de Malcom McLaren aconselho o apontamento com que o amigo VJ assinalou o triste momento no seu Juramento Sem Bandeira:
Ele achava que tinha inventado o punk.

Mayer Hawthorne - I Left My Heart in San Francisco

08 abril 2010

Novidades para o Sudoeste: The Very Best, Beirut e Patton

Novos nomes para o Sudoeste:

Friendly Fires,
Beirut,
Mike Patton (vocalista dos Faith No More com o projecto - Mondo Cane),
The Very Best
Rye Rye

07 abril 2010

Mais Nomes para o Super Rock

O cartaz do festival do Super Bock Super Rock não pára de crescer, e a juntar aos nomes já anunciados hoje avançamos com mais cinco novas confirmações. No dia 16, os KEANE sobem ao Palco Super Bock com um novo EP, “The Night Train”, sucessor do álbum “Perfect Symmetry”, onde se encontra o novíssimo single “Stop for a Minute” já a rodar nas rádios nacionais. No mesmo dia os apaixonantes, contagiantes e descontraídos BEACH HOUSE sobem a um outro palco para nos presentearem com sonoridade dream pop do mais recente “Teen Dream”, já considerado um dos melhores álbuns de 2010. No dia 17, os HOT CHIP, quinteto de electropop originário de Londres chega com o recente e aclamado “One Life Stand” e PATRICK WATSON para mais uma explosão inebriante e arrebatadora de genialidade. Finalmente, também no dia 17, os LEFTFIELD, reunidos após oito anos de separação, prometem arrasar a noite com a sua sonoridade pioneira dos anos 80.

Fat Freddy's Drop em Setembro no Coliseu de Lisboa

É o regresso da excelente banda Fat Freddy's Drop a Lisboa para tocarem aquele que foi para o Grandes Sons o melhor disco editado em 2009, "Dr Boondigga & The Big BW".
Dia 2 de Setembro temos reencontro marcado com os Fat Freddy's Drop.

06 abril 2010

MGMT no Campo Pequeno a 18 de Dezembro

Os MGMT, uma das bandas mais influentes dos anos zero, vão dar o primeiro concerto de sala em Portugal, dia 18 de Dezembro, para apresentar o novo álbum, Congratulations, com edição marcada para dia 12 de Abril. O concerto marca o regresso dos MGMT depois da auspiciosa estreia no Optimus Alive!08.

04 abril 2010

Manuel Cruz na 3

Manel Cruz actuou, na semana passada, nos estúdios da Antena 3, em antecipação do seu concerto na Aula Magna, em Lisboa, marcado para a próxima Quinta-feira, 8 de Abril.

02 abril 2010

The Specials em Coura

O Festival Paredes de Coura nunca desilude e acaba de anunciar para dia 31 de Julho os grandes The Specials.

01 abril 2010

Biffy Clyro no Alive

Depois de terem feito a primeira parte dos Muse os Biffy Clyro regressam a lisboa para tocarem no Alive a 8 de Julho.

31 março 2010

Air Agora no Porto

Após um concerto apoteótico e completamente esgotado no Coliseu de Lisboa, os Air sobem desta vez ao Porto para uma actuação única no Coliseu, dia 20 de Junho. O duo electro francês vem apresentar o último disco de originais, Love 2, mas certamente não vai deixar de fora os grandes êxitos do brilhante repertório.

LCD Soundsystem - Drunk Girls

30 março 2010

The Drums no Alive

Os promissores britânicos The Drums actuam pela primeira vez ao vivo em Portugal, dia 8 de Julho, no Palco Super Bock do Optimus Alive!10.

29 março 2010

Gomez no Alive a 10 Julho

O regresso dos Gomez a Lisboa dá-se a 10 de Julho no palco principal do Festival Alive.

Leftfield no Super Rock

Os Leftfield anunciam na sua página no Myspace a presença no segundo dia do festival Super Bock Super Rock, a decorrer nos dias 16, 17 e 18 de Julho no Meco.

Lisa Germano com Philip Selway: Alteração de Sala

O concerto de estreia em Portugal do projecto que liga a cantora e multi-intrumentista, Lisa Germano com Philip Selway, o baterista dos Radiohead, marcado para a Aula Magna, vai ter lugar no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém, dia 6 de Abril. A dupla desloca-se depois para o Porto onde actua na Casa da Música, dia 7 de Abril.

Os bilhetes adquiridos para o concerto da Aula Magna são válidos para a nova sala, sem ser necessário proceder a qualquer troca. O concerto, marcado para as 21h00, terá início às 21h30.

28 março 2010

A Naifa regressa com livro/DVD biográfico

A Naifa confirmou o seu regresso, agora com Sandra Baptista no lugar do falecido João Aguardela.

Em Maio será editado um livro/DVD biográfico que resume os primeiros quatro anos de vida do colectivo. A 5 de Junho, há concerto na Festa do Fado, no Castelo de Sâo Jorge.

A digressão tem como título «Esta Depressão Que Me Anima».

fonte Disco Digital

25 março 2010

Vampire Weekend no Super Rock



O grupo norte-americano vai actuar no festival Super Bock Super Rock no dia 17 de Julho.

Novo single dos The National oferecido

Os The National disponibilizaram para download o novo single «Bloodbuzz Ohio».

A canção pode ser descarregada gratuitamente na página dedicada ao disco. O download está disponível em versão simples e deluxe.

«Bloodbuzz Ohio» faz parte do novo álbum «High Violet», com saída prevista para 11 de Maio, e é o segundo avançado depois de «Terrible Love». A banda regressa a Portugal para actuar no festival Super Bock Super Rock a 17 de Julho.

download em: The National

fonte disco digital

Novo disco The Soaked Lamb "Hats & Chairs" editado dia 5 de Abril


the soaked lamb

24 março 2010

Nobody's Bizness no MusicBox

Hoje há concerto dos Nobody's Bizness a transformarem o MusicBox em sala de blues.
A entrada custa 6€.
É aparecer.

23 março 2010

Obrigado, Rui Miguel Abreu

A propósito da morte de Nuno Rodrigues, o rapper português mais conhecido por MC Snake, o jornal DN publicou um texto assinado por Alberto Gonçalves que pode ser lido no link abaixo.
É uma prosa infeliz que contrasta com a minha felicidade em saber que temos alguém como o grande Rui Miguel Abreu para responder à letra aquilo que tinha que ser respondido.
Cito, com a devida vénia, e em jeito de agradecimento Rui Miguel Abreu no seu excelente blog:

Em resposta à crónica «O ‘hip hop’ também mata» de Alberto Gonçalves publicada no DN

Quem no seu perfeito juízo daria emprego a Alberto Gonçalves? A pergunta pode parecer despropositada, sobretudo para quem, como eu, não fazia sequer a mais pequena ideia da sua existência. Esse estado de graça foi, no entanto, profundamente abalado quando há menos de uma hora uma pessoa, igualmente desconhecida, mas certamente preocupada, teve o cuidado de me fazer chegar ao conhecimento a pateta crónica «O ‘hip hop’ também mata» assinada, precisamente, pelo senhor Alberto Gonçalves. O que fará tal senhor na companhia de tão ilustres cronistas quanto Adriano Moreira, António Perez Metelo ou António Vitorino desconheço. Provavelmente, e a julgar pelo já referido texto, não terá obtido o cargo das mãos de alguém «no seu perfeito juízo».

O conservadorismo de direita bacoco e retrógado é indisfarçado nas entrelinhas desta crónica, como nas de outras que tive o cuidado de ir procurar – afinal de contas o problema que revela ter com o hip hop não é muito distante do que expõe em relação a quem ousa fugir a uma norma imaginária de decência: como Daniel Day Lewis que usou argolas nos Óscares ou a premiada na categoria de Melhor Argumento que «possuía tantas tatuagens quanto os ferimentos de guerra de John McCain» (tiradas de elevadíssima moral a que tive acesso por via de uma reacção do blogue Arcebispo de Cantuária a uma crónica de Alberto Gonçalves publicada na revista Sábado – e parecem ser abundantes os empregadores com baixo grau de «perfeito juízo»…).

Na crónica «O ‘hip hop’ também mata», Alberto Gonçalves começa por dissecar as reacções à mediatizada morte de Nuno Rodrigues, o MC que adoptou o nome Snake, para depois declarar, com a propriedade omnisciente de quem se coloca num plano superior, que se há quem defenda que essa morte se deve a um estereótipo a verdade também é que «a responsabilidade pelo estereótipo cabe inteirinha ao sr. Rodrigues». Eu não conhecia o senhor Nuno Rodrigues e pouco conhecia do MC Snake. No entanto nunca ousaria presumir conhecer quais as escolhas que tanto o homem como o MC fizeram em vida. Certezas tenho em relação à sua condição: sei que não escolheu a cor de pele com que nasceu, nem o bairro em que cresceu ou as oportunidades e obstáculos com que se deparou. Não sei sequer se terá escolhido o hip hop ou se terá sido o hip hop a escolhê-lo a ele. Sei é que se por acaso Snake se encaixava em algum estereótipo isso não terá certamente sido resultado de uma escolha. Ninguém escolhe ser uma casualidade, uma estatística ou um número. E quem escolhe o hip hop almeja sempre a superação e a sobrevivência – ou seja, a fuga ao estereótipo, a recusa de ser uma mera entrada num catálogo estatístico qualquer.

O senhor Alberto Gonçalves dedica depois boa parte da sua crónica a debitar uma série de lugares comuns sobre o hip hop. Que é primário, que não é música, que é confrontacional, escreve. «É, vá lá, um estilo de vida, traduzido à superfície no vestuário ridículo e nos gestos animalescos». A foto disponível no cabeçalho da coluna «Dias Contados» (vale a pena explorar os arquivos desta coluna num exercício que é mais ao menos o equivalente a um mergulho nos mares do Japão, tal a quantidade de pérolas que se encontram), onde se publicou esta crónica, é ínfima, mas ainda assim revela que o senhor Alberto Gonçalves pertence aquela classe-cinzenta-do-blazer-azul-escuro-usado-sobre-camisa-azul-um-pouco-mais-claro-sem-gravata-que-um-homem- não-tem-que-sofrer-todos-os-dias. Vestuário uniforme ridículo, claro, nesse degradé tão mortiço que, afinal de contas, só reflecte uma visão mesquinha da vida, animalesca de tão predadora, de tão selvaticamente empedernida.

O senhor Gonçalves prossegue depois com o seu exercício de ódio, apontando as suas farpas às letras, num toureio cego: «As letras, que certa “inteligência” considera “poesia das ruas”», escreve, «são, além de analfabetas, manifestações de rancor social. Por norma, são também glorificações do crime e panfletos misóginos». O retrato do senhor Gonçalves contido nestas linhas é tão claro que a tentação de as deixar sem resposta é grande. Duvido sinceramente que tenha ouvido todo o hip hop, única forma de justificar tamanha acusação. Esta imagem, formada à pressa depois de visionar meia dúzia de clips no YouTube, é no entanto clara na forma como realça os medos primários e injustificados que parecem existir no íntimo do senhor Gonçalves.

Segue-se um extraordinário parágrafo onde Alberto Gonçalves inventa uma nova genealogia para o hip hop, «braço musical tardio do black power», afirma. Explica o senhor que a «”identidade negra” somente se define contra o “sistema”, numa postura de desafio e fúria que a “inteligência” julga legitimada por uma suposta opressão». Cada uma destas “preciosidades” mereceria em si uma longa refutação, mas optando pela mesma estratégia telegráfica e sabichona do senhor Gonçalves, permito-me apenas dizer que o Black Power influenciou muito mais uma senhora como Nina Simone, que imagino que faça parte da sua colecção politicamente correcta de cds (deixe-me adivinhar, além de um best of com o menos bom de Nina Simone terá o quê? Um ou outro Dylan para impressionar amigos de esquerda, Rui Veloso, música clássica genérica, ópera para justificar a sobranceria musical, um Chico Buarque que secretamente não compreende mas que acha que lhe fica bem e que mais?), do que os pioneiros Afrika Bambaataa e Grandmaster Flash (nomes ridículos, já sei…) que em meados dos anos 70 estavam muito mais preocupados em fazer a festa do que a revolução. E depois, claro, vem o exemplo Uncle Tom do Louis Armstrong, o preto que se portava bem e até cantava a plenos pulmões como o mundo era bonito, coisa que Rosa Parks não percebia lá muito bem.

O bem informado senhor Gonçalves diz depois que o hip hop é uma invenção da indústria discográfica e televisiva, coisa difícil de compreender quando os livros de história nos revelam que as editoras demoraram a acordar para esta força cultural e que a televisão – a MTV – só depois de esgotar o apelo das cabeleiras carregadas de laca do hair metal de Los Angeles é que decidiu explorar as avenidas de Nova Iorque, já os anos 90 iam bem lançados. Segue-se a colocação das coisas em perspectiva usando uma ideia de contrastes que opõe literatura (qual? a de Margarida Rebelo Pinto?) à “poesia das ruas” (as aspas são do senhor Gonçalves, pois claro), que opõe música ao ruído (qual? o de Stockhausen?), educação (qual? a das escolas degradadas, mal equipadas?) à agressividade… Bocejo.

A estocada final na tentativa de diminuição do hip hop conduzida por Alberto Gonçalves chega com a procura de legitimação das suas opiniões extremadas junto de dois (Uncle) Thomas – Sowell e McWhorther – vozes dessa rara espécie de negros republicanos e conservadores que se pudessem usavam chapéus de cowboy o tempo todo e acompanhavam as digressões inteiras de Garth Brooks. E depois vem a citação de Stanley Crouch sobre 50 Cent que me forneceu o mote para o arranque desta resposta: «quem no seu perfeito juízo daria um bom emprego a 50 Cent?». Num parêntesis, Alberto Gonçalves tem o cuidado de referir que 50 é «uma das vedetas do género que ainda não tiveram morte violenta» porque, como sabemos todos, no rock toda a gente se reforma e morre de velho. Mas talvez isso só não tenha acontecido por 50 ainda não se ter encontrado com o próprio Stanley Crouch, crítico e historiador conhecido por esmurrar quem dele discorda. E, claro, por ser um defensor desse outro elevadíssimo e progressivo negro que é Wynton Marsalis, homem que acha que o jazz pertence aos museus e que devia ser música de reportório onde esses tipos modernos que fazem dos trompetes e saxofones fontes inesgotáveis de barulho não deveriam ter lugar.

Face a isto, temo até em imaginar como terão sido as conversas de café do senhor Alberto Gonçalves por altura do arrastão, esse outro fenómeno de estereótipos em corrida livre pelas praias alvas da imaginação de outros Gonçalves desta vida. Será que não percebe, senhor Alberto Gonçalves, que o estereótipo é o que tem à sua frente, no espelho?

Rui Miguel Abreu

Corinne Bailey Rae e Elvis Costello no CoolJazzFest

Dois nomes de peso para o Festival de Cascais: Corinne Bailey Rae (24 Julho) e Elvis Costello (28 Julho) actuam CoolJazzFest.

Manic Street Preachers no Alive



Os Manic Street Preachers são a mais recente confirmação para o Optimus Alive!10, onde vão actuar dia 9 de Julho, no Palco Optimus.

O Novo Disco dos MGMT

Para ouvir em whoisMGMT.

22 março 2010

Peaches no Alive!10

A agitadora canadiana, Peaches, e a dupla de DJ's nova-iorquina, Holy Ghost!, são mais dois grandes nomes que se juntam ao cartaz de 2010. Ambos os concertos acontecem no Palco Super Bock, mas Peaches actua dia 10 de Julho, enquanto Nicholas Millhiser e Alex Frankel aquecem as hostes no dia 9 de Julho.

Quatro Nomes Femininos Para Sines 2010



SA DINGDING, uma das figuras mais representativas da música chinesa contemporânea atenta às raízes. Actua no Castelo de Sines, no dia 30 de Julho.

GUADI GALEGO, uma das cantautoras em maior destaque na nova geração da música galega. Sobe ao palco do Auditório do Centro de Artes de Sines no dia 26 de Julho.

YASMIN LEVY, considerada “uma das melhores cantoras do Médio Oriente” (The Guardian). O palco do Castelo de Sines é seu no dia 29 de Julho.

LOLE MONTOYA, uma das vozes mais importantes da história do flamenco, e estará presente no palco do Castelo, no último dia do evento, 31 de Julho.

21 março 2010

20 março 2010

Black Sabbath sem Ozzy Osbourne no Alive

Os Heaven & Hell são os Black Sabbath sem Ozzy Osbourne.
Nasceram em 2006 e gravaram dois álbuns, um de estúdio e outro ao vivo.Actuam a 8 de Julho no Optimus Alive! 2010.

19 março 2010

Alex Chilton, líder dos Big Star, faleceu aos 59 anos

Diz a Rolling Stone que Alex Chilton se sentiu mal e foi transportado para um hospital de New Orleans, nos Estados Unidos, onde acabou por morrer. Na base do sintoma terá estado um ataque cardíaco.

Os Big Star nasceram na década de 70 e gravaram apenas três álbuns tornando-se um nome de culto entre o rock independente americano. Em 2005, regressaram para gravar «In Space».

Dentro de dias, iriam actuar no South By South West. Alex Chilton deixa a mulher, Laura, e o filho Timothy.

18 março 2010

M.I.A., Flaming Lips, Massive Attack, Kruder e Dorfmeister, The Wailers no Festival Sudoeste

A 5 de Agosto o festival recebe M.I.A. e os Flaming Lips e a 8 de Agosto há concerto de Massive Attack. David Guetta encerra o Sudoeste no mesmo dia.

Estas quatro actuações estão marcadas para o Palco TMN. Confirmados estão também Kruder & Dorfmeister (espaço Groovebox a 5 de Agosto) e The Wailers (palco reggae a 8 de Agosto).

As revelações foram feita por Paula Oliveira, da Música no Coração, esta manhã na Rádio Comercial.
O festival decorre entre 4 e 8 de Agosto.

17 março 2010

New Young Pony Club e Booka Shade no Alive



O quinteto electropop britânico, New Young Pony Club, e a dupla electrohouse alemã, Booka Shade, em formato live, são as mais recentes confirmações para o Palco Super Bock do Optimus Alive!10, no dia 9 de Julho.

Florence & The Machine - Drumming Song (Aula Magna)

Florence and the Machine na Aula Magna: Estreia Convincente

Noite de consagração para Florence and the Machine e o seu disco de estreia «Lungs» que foi acolhido em euforia por uma esgotada e entusiasmada Aula Magna.

Para quem não viu nem ouviu e só tem o disco «Lungs» como referência, dizemos que as canções interpretadas ao vivo ganham vida própria num palco totalmente dominado por Florence e devidamente decorado com os elementos que caracterizam a capa do álbum.

Recordemos que Florence e a sua máquina já tinham uma aura especial mesmo antes de o conhecermos por cá devido ao empurrão da sempre activa imprensa inglesa, nomeadamente a BBC, que elevou a banda a um importante estatuto no início do ano passado. Depois Florence e companheiros aproveitaram bem e lançaram um belo disco que só não foi campeão de vendas porque teve de lutar contra o fantasma de Michael Jackson nos tops.

Na digressão de apresentação do aclamado «Lungs», as performances de Florence rapidamente começaram a ser elogiadas e os vídeos no You Tube fizeram o resto. Lisboa testemunhou a excelente forma em que a banda termina a sua digressão europeia, e a alegria e motivação com que continuam a apresentar a meia dúzia de canções de um álbum totalmente assimilado por uma atenta e devota plateia.

Florence juntou-se ao restrito número de artistas que conseguem virar a pacata sala da Cidade Universitária de pernas para o ar. Qualquer concerto na Aula Magna que meta invasão da plateia aos lugares doutorais é concerto ganho; ver aqueles zelosos seguranças de cabeça perdida perante o entusiasmo dos fãs tem qualquer coisa de épico. Florence desafiou e a plateia não hesitou. Enchente das grandes bem na frente do palco ainda não se tinha esgotado a primeira metade do concerto.

Teatral, expansiva, expressiva, à vontade nos ritmos mais acelerados ou calmos, dominando na perfeição os seus bonitos agudos e acompanhada na perfeição por uma sempre elegante harpa, Florence soou sincera nos elogios e agradecimentos aos seus fãs portugueses e abriu uma grande porta para regressos futuros. Uma bela estreia por terras portuguesas.

jjoaomcgoncalves

in Disco Digital