31 outubro 2007

Moonspell em Halloween

Os Moonspell actuam hoje no Coliseu dos Recreios. Em apresentação, vai estar «Under Satanae», disco onde a banda regravou a maqueta «Annu Satane» e o EP «Under The Moonspell».
Antes, tocam Root e Kalashnikov (banda do cómico Jel). Os concertos começam às 20h00 e o preço dos bilhetes varia entre os 18 e os 20 euros.

30 outubro 2007

Valentim de Carvalho - reedições de álbuns históricos

Uma boa notícia que o obrigatório Sound+Vision divulga:
A Valentim de Carvalho vai encetar, a 19 de Novembro, uma série de reedições de álbuns históricos do seu catálogo, a maioria dos quais nunca antes editado em CD. Entre os primeiros títulos a surgir nesta primeira campanha destaca-se Independança (de 1982), álbum de estreia dos GNR, que surgirá com sete temas extra que correspondem às faixas dos singles de 1981 Portugal na CEE, Sê um GNR e do máxi-single Twistarte (1983). Com Independança saem, também com extras, os álbuns Álibi de Manuela Moura Guedes (1981), Qualquer Coisa Pá Música de Jorge Palma (1979), Mistérios e Maravilhas dos Tantra (1977) e uma antologia com a integral da obra dos Sheiks entre 1965 e 67.

29 outubro 2007

Patti Smith no Coliseu dos Recreios: Uma lenda entre clássicos

Patti Smith assinou na noite de domingo um dos melhores concertos que Lisboa recebeu este ano. O regresso a Lisboa, após passagem pelo pavilhão Carlos Lopes em 2001, foi o mais feliz possível. Houve alma, empenho e comunhão total com o público que encheu o Coliseu e que ia das gerações mais novas, às mais batidas nestas coisas do rock. Patti está muito bem conservada, e muito bem acompanhada por uma excelente banda, convocou grandes almas do rock n'roll, dedicou um tema a Fernando Pessoa, elogiou a capital portuguesa, e virou a plateia ao contrário ao convencer o público a trocar as cadeiras pelos corredores de acesso ao palco.

A última noite da digressão europeia de «Twelve» aconteceu em Lisboa, e foi um privilégio receber uma lenda do rock em tão boa forma mental, física, e vocal. Patti Smith sobe ao palco com mais de três décadas de carreira, mas revela a mesma vontade de ali estar de sempre. Aqui a expressão «animal de palco» faz todo o sentido para falar da maneira como Patti ocupa o espaço. A noite arranca com "Redondo Beach" e logo a plateia sentada corresponde. Patti sorri e mais para a frente vai até perto da primeira fila acenar, para mais tarde entrar pelos corredores entre as cadeiras para ir cumprimentando os seus fãs. Foi o mote para mais ninguém se sentar, e o espaço em frente ao palco foi invadido pelos mais rápidos. Quem só chegasse no fim nem percebia que a noite começou com a sala sentada.

A música tem muita força, Patti Smith sabe-o melhor que ninguém e o que ela quer fazer hoje em dia é celebrar as grandes canções do rock, por isso anda a divulgar um álbum de versões de outros artistas, por isso anda pelo mundo a dar concertos que são um desfile de clássicos que não deixa ninguém indiferente. Ouvir «Are You Experienced?» de Jimi Hendrix, ou «Smells Like Teen Spirit» dos Nirvana mostra como a música atravessa gerações, e nos une à voz de Patti Smith numa celebração rara e preciosa.

A sensação mais marcante deste encontro foi perceber que é possível estarmos num concerto de uma figura lendária e não existirem barreiras entre nós. Patti é uma das nossas, por isso canta para nós, e connosco. Junta-se aos seus fãs, canta no meio deles, dança com eles, e consegue manter a chama ordenadamente. Mais eficaz que dezenas de seguranças atrapalhados nos seus fatos e gravatas. Apesar de passar por versões de «Twelve», Patti Smith não ignora algumas das canções que lhe são associadas eternamente, por isso foi com euforia que se cantou «Because the Night», ou «Gloria», de Van Morrisson.

Sempre com palavras simpáticas entre as músicas destaque-se o momento em que dedica uma canção a Fernando Pessoa, e para os elogios a Lisboa, cidade a que dedicou a sua escrita em tempos passados, altura em que até o seu falecido marido Fred Smith (ex guitarrista dos MC5) estranhava tanto interesse por Lisboa. Foram duas horas que passaram num ápice, e se momentos antes do início do concerto tinha sido um norte americano a descansar as almas benfiquistas, no fim da noite uma norte americana despedia-se do Coliseu mostrando como a força da música e das palavras podem proporcionar momentos inesquecíveis. Como este concerto.

in disco digital

Patti Smith na Plateia

Um dos concertos do ano! Aqui fica um registo da altura em que Patti Smith resolve entrar pela plateia do Coliseu para cumprimentar os fãs sentados enquanto a sua banda continua a tocar:

Patti Smith no Coliseu Lisboa: Fotos





28 outubro 2007

Mark Kozelek no Santiago Alquimista: O (en)canto de Kozelek

A julgar pela boa afluência de público à sala do Santiago Alquimista ainda há por aí muita alma ancorada no imaginário das melancólicas canções que os Red House Painters construíram para uma imensa minoria durante a década de 90. Mark Kozelek tinha prometido interpretar temas da sua variada carreira visitando o repertório dos Painters, ou dos seus discos a solo, ou ainda dos Sun Kil Moon, e cumpriu para agrado de todos.

Sem mesas e cadeiras em frente ao palco, o espaço do Santiago Alquimista registava numerosa presença de fãs, bem mais do que se viu na noite de Kurt Wagner, por exemplo, e o ambiente ficou mais caloroso para receber Kozelek.

Postura curiosa do americano em palco. Sempre de pé, discretamente vestido de camisa clara e calças escuras, com um pé sempre mais adiantado que o outro, apenas com a sua guitarra, e de cabeça caída enquanto canta o seu reportório. Só não é o símbolo perfeito do músico solitário porque após um começo sozinho apareceu um companheiro que se sentou ao seu lado para o acompanhar à viola.

Tudo começou tal como começa «Ghosts of the Great Highway», disco dos Sun Kil Moon, ou seja com o tema «Glenn Tipton», desta vez muito mais despido e intimista. No meio das canções Kozelek foi comunicando com a plateia, enquanto ia afinando as cordas, e pedia ajustes de som que apesar do ensaio da tarde acabou por dar trabalho extra em palco por razões deconhecidas segundo o próprio Mark.

O seu grande trunfo é sem dúvida aquele timbre de voz inconfundível que nos remete logo para as enormes canções dos Red House Painters que toda a gente na sala parecia conhecer na íntegra. Foram duas horas entregues aos acordes, e à voz, de Kozelek que quando tocou «Tiny Cities», «Duk Koo Kim», «Gentle Moon», ou a versão dos The Cars «All Mixed Up», teve os fãs rendidos à sua melancolia. Com o avançar da actuação o ambiente ia ficando mais descontraído e os pedidos vindos da plateia sucederam-se.

Tiveram sorte os que sugeriram «Katy Song», ou «Around and Around» já em período de encore, que fechou uma noite simpática, intimista, e que avivou memórias dos tempos em que o slowcore era moda. Terminado o concerto ouvia-se nas colunas do Alquimista o disco dos Spain, para que não restassem dúvidas.

Na primeira parte, Sean Riley e os Slowriders apresentaram as canções do disco de estreia «Farewell». Sem particular brilho, acrescente-se.

O Regresso de Miss Patti Smith a Portugal Hoje à Noite no Coliseu

Patti Smith vai actuar hoje no Coliseu dos Recreios a partir das 21h30. O concerto deve servir de apresentação do disco de versões «Twelve».
O preço dos bilhetes disponíveis varia entre os 25 e os 30 euros. A cantora esteve pela última vez em Portugal no Festival Número.

27 outubro 2007

Mark Kozelek Hoje à Noite no Santiago Alquimista

Uma noite de canções intimistas no Santiago Alquimista é o que se espera neste regresso de Mark Kozelek a Lisboa.
Ele que andou com os Red House Painters a divulgar música calma pelo anos 90 assume agora a solidão amaparada numa guitarra.
Em entrevista ao Diário Digital disse que logo à noite conta tocar «Um pouco de tudo. Algumas antigas, outras novas e também versões.».
É aí que também confessa paixão pela cozinha portuguesa, em particular o caldo verde!
Hoje no Santiago Alquimista, às 21h30 com primeira parte de Sean Riley e dos Slowriders.

26 outubro 2007

O Vídeo Banido dos Duran Duran

O regresso dos Duran Duran está a dar polémica. Pelo menos o vídeo do single de apresentação do novo álbum tem sido banido de várias cadeias de televisão.
O videoclip de "Falling Down" tem imagens fortes e é polémico, marca o regresso dos Duran Duran aqui a contarem com ajuda de Justin Timberlake:

A Blitz de Novembro

25 outubro 2007

Outras Sugestões Para Hoje à Noite

A provar a grande diversidade de oferta que temos ao nosso dispor para a noite de quinta feira, já com fim de semana à vista, aqui ficam boas sugestões para mais logo:

Soldiers Of Jah Army + Selecta Lexo + No Joke: Cascais - Coconuts
WhoMadeWho: Lisboa - Lux
Philharmonic Weed + Sanryse : Lisboa - Santiago Alquimista

Hoje Arranca o Festival Jameson Urban Routes

O MusicBox recebe a partir de hoje o festival Jameson Urban Routes até 3 de Novembro.
Hoje, a entrada será gratuita para todos os que quiserem comparecer no Cais do Sodré. O bilhete diário para os restantes dias será de 10 euros e inclui a oferta de um Jameson.

Hoje tocam Rocky Marsiano, Boozou Bajou (DJ) e Tiago Santos (DJ). O VJ será Edgar Alberto.

Amanhã, é a vez dos Micro Audio Waves, Mike Stellar (DJ), Richard Dorfmeister (DJ) e Vince Varga (VJ). A 27, actuam Cool Hipnoise, Stereotyp com Al Haca, Selecta Lexo com Prince Wadada e o DJ Alatak.

A 2 de Novembro, será a vez dos Bugz In The Attic e James Krohn com Melo D, com Moai como VJ. O festival encerra no dia 3 com os Nemo, Rui Maia (DJ, dos X-Wife) e Rui Murka, com X como VJ.

in discodigital

24 outubro 2007

Quarteto 1111 no MusicBox: Lendas revisitadas

Noite de festa, e casa cheia no MusicBox em Lisboa para celebrar o lançamento do livro dedicado à história do mítico grupo Quarteto 1111. Várias gerações de músicos, e apreciadores das raízes do nosso rock, misturaram-se num convívio animado que muito orgulhou António Pires, o autor do livro.

O livro «As Lendas do Quarteto 1111» andava de mão em mão e amigos de longa data procuravam o autor para ficarem com uma dedicatória. Muitas caras conhecidas entre jornalistas e músicos, não tendo sequer faltado a presença de Luís Pinheiro de Almeida a quem António Pires dedicou um capítulo inteiro. Aliás, foi no grupo de conversas onde esteve Pinheiro de Almeida que se ouviram as histórias mais interessantes da noite, e onde se podia ouvir as explicações para as verdadeiras relíquias da música portuguesa que o DJ João Carlos Callixto ia passando. E deu também para ver o single em vinil que Cândido Mota passou há 40 anos no seu programa de rádio altura em que «A Lenda d'El Rei D. Sebastião» foi ouvido pela primeira vez. O single pertence a Pinheiro de Almeida que o levou para casa devidamente autografado.

Foi precisamente a canção «A Lenda d'El Rei D. Sebastião» que foi mais celebrada. Abriu e fechou a pequena actuação do Quarteto 1111, que foi apresentado por Cândido Mota. Apesar de não contar com Tozé Brito, ausente por motivos profissionais em Nova Iorque o agora patrão da Universal não deixou de mandar uma mensagem lida por António Pires. Já o sempre enérgico José Cid comandou as operações, visivelmente satisfeito com o momento vivido e sentido.

No fim ficou o anúncio de um grande concerto marcado para Novembro no Campo Pequeno em que José Cid contará com a presença dos outros 1111. Uma festa bonita à volta de um livro que é de aquisição obrigatória por quem se interesse pela música feita em Portugal.

23 outubro 2007

Coldcut no Casino Lisboa: Two Many VJ`s

Os Coldcut inauguraram a temporada de concertos gratuitos às segundas feiras no glamoroso palco do Arena Lounge do Casino de Lisboa. Os lugares das mesas, e os espaços dos anéis que rodeiam o palco estiveram bem preenchidos por um público que se deixou entusiasmar pelo espectáculo de mistura entre som e imagens que a dupla inglesa apresentou com mestria.

À partida os curiosos menos informados podiam ir à espera de uma apresentação do último disco dos Coldcut ao vivo. Eles já tinham avisado que não era essa a sua proposta para esta noite, mas mesmo assim tivemos direito a ouvir o single maior de «Sound Mirrors», editado no ano passado, «Walk A Mile In My Shoes», com a imagem de Robert Owens a aparecer nos ecrãs.

Foi uma passagem recebida com agrado no meio de um set ousado em que Jonathan More e Matt Black misturaram sons e imagens de maneira impressionante, sincronizando os samples de som com as respectivas imagens de videoclips. A isto chamam «Journeys by VJ», um verdadeiro espectáculo audiovisual, em tratam, processam e editam ao vivo mais de mil samples de audio e vídeo!

O resultado é entusiasmante, ouve-se em sequência, e às vezes em versão «mash up» trechos de grandes clássicos do Hip Hop e do rock de gente variada como AC/DC, Jimmy Hendrix, Run DMC, DJ Shadow, ou mesmo Rage Against The Machine. Sempre apoiados pelo MC Juice Aleem que ajuda à festa, criando momentos que nos chegamos a lembrar dos delírios dos 2Many DJ`s ao vivo.

O objectivo de «Journeys by VJ» foi plenamente cumprido, apenas abafado pela tradicional falta de qualidade de som do Arena Lounge, e não é todos os dias que temos os ilustres fundadores de uma das mais emblemáticas editoras de música electrónica, Ninja Tune, a darem-nos música e imagens desta qualidade.

António Pires e AS LENDAS DO QUARTETO 1111


Tenho que começar por confessar que tenho o privilégio de ser amigo de António Pires, um jornalista que me habituei a ler, e que fui admirando ao longo de anos, especialmente no Blitz.
Felizmente tive a oportunidade de o conhecer e ficar amigo dele. É um dos grandes transportadores de histórias, e da História, do jornalismo musical em Portugal. Como tal não admira que não esteja devidamente aproveitado num país que tão mal trata quem tanto sabe, e que idolatra personagens vãs.
Se bem o conheço por esta altura ao ler estas linhas já deve estar todo atrapalhado e contestar tudo isto, porque é um homem tímido, modesto, e que não gosta destes elogios.
Em Sines, no verão passado, contou-me sobre a edição deste livro. Fiquei logo entusiasmado com a ideia de ver documentada uma história de um tempo que não vivi, e que me interessa conhecer. Ainda não li o livro sobre as lendas do Quarteto 1111 mas pelo que tenho lido e ouvido nos espaços justificadamente dedicados a esta edição já deu para perceber que é imperdível.

Hoje assinala-se a edição do livro com uma festa no Musicbox a partir das 22h, e com direito a concerto do Quarteto 1111. Deviamos lá ir todos e dizer obrigado ao António por não cruzar os braços e por nos contemplar com a sua prosa conhecedora. Eu vou.
Espero que a generosidade do António não se fique só por este livro, que venham mais, e que ele continua a actualizar esse blogue de utilidade pública chamado Raízes e Antenas.

22 outubro 2007

Videos de Concertos do Sudoeste 2007

Uma empresa espanhola, Central Musica, esteve em Agosto no Festival Sudoeste a gravar alguns concertos e agora tem vindo a disponibilizar os vídeos na sua página. Para já podemos recordar os concertos de:
The Noisettes
Sonic Junior
Bonde do Rolê
Wraygunn

em: Central Musica ver na área de festivais

Coldcut Hoje No Casino de Lisboa

Os Coldcut serão a primeira banda a actuar no ciclo «Concertos Arena Live 2007», no Casino Lisboa, no próximo dia 22 de Outubro, pelas 22:30, inaugurando uma série de actuações, que se prolonga até ao final do ano.
Com um original conceito de espectáculo, o grupo sobe ao palco do Auditório dos Oceanos, convidando o público a ouvir as suas composições inovadoras, criadas pelos produtores britânicos Janathan More e Matt Black, fundadores dos Coldcut há cerca de duas décadas.
A dupla, em estreia absoluta em Portugal, será acompanhada por Raj Pannu e Juice Aleem, apresentando «Journeys by VJ», tratando, processando e editando mais de mil samples de áudio e vídeo ao vivo, revelando uma nova dimensão do que pode ser um «live act».
Após o assinalável sucesso registado na sua primeira edição, «Concertos Arena Live» propõe onze concertos, nas noites de segunda-feira, protagonizados por um conjunto de artistas nacionais e estrangeiros, que prometem surpreender o público.

O espaço vanguardista do Arena Lounge, que dispõe de múltiplas soluções técnicas para originais actuações ao vivo, será preenchido com diferentes conceitos e estilos musicais até Dezembro.

21 outubro 2007

Stress dos Justice Revisto em Hardcore

O tema "Stress" do badalado disco dos Justice foi remisturado com competência por uma banda francesa hardcore. "Stress" é já um tema intenso na versão original aqui ganha nova vida e ainda mais forte. A ouvir:
October Mixtape at Crackers United

20 outubro 2007

Vieux Farka Touré e Tinariwen no CCB: Areia do Deserto

A noite tinha o nome de Festival Au Désert como tema. O Grande Auditório do CCB encheu para receber os sons do deserto, mais especificamente dos lados do Mali. A presença de Vieux Farka Touré, e dos Tinariwen pedia um ambiente envolvente diferente daqueles traços arquitectónicos, e sobretudo daquelas cadeiras incomodativas para quem queria reagir aos sons quentes, dançantes, e irresistíveis das guitarras que só pediam aos corpos que dançassem. Uma parte do público contornou a situação e ocupou as escadarias da sala para libertarem os instintos corporais acompanhando as vibrações dos blues africanos proporcionados por um surpreendente Vieux Farka Touré, e pelos excelentes Tinariwen.

O nome Farka Touré pode ser uma pesada herança mas a verdade é que Vieux, segundo filho mais velho de Ali, o honra dando razão a Toumani Diabaté que o levou para a sua banda há anos mesmo sem o pai Ali ter achado muita piada porque não queria o filho nestas andanças onde Ali foi tantas vezes enganado antes do reconhecimento. Como se sabe Ali faleceu vítima de cancro há pouco tempo, mas ainda participou nas gravações do disco de estreia que Vieux apresentou esta noite em Lisboa.

Acompanhado por bateria, viola, baixo e percussão, Vieux deu um grande concerto sempre seguro nas suas guitarras e violas acústicas, e viajando entre os blues, as raízes, e até passando por ramificações de reggae. Comunicou em francês, foi convencendo a plateia a abandonar as cadeiras para dançarem ao som das canções do seu disco, As influências estão lá todas, obviamente, mas Vieux consegue marcar o seu próprio terreno e saiu com a plateia completamente convencida.

Os Tinariwen já são da casa. Já assinaram grandes concertos no nosso país e por isso foram recebidos calorosamente. Mesmo em versão mais reduzida, sem elementos femininos, os Tuaregues não facilitam e logo ao primeiro tema constroem aquele muro sónico de guitarradas hipnóticas que nos levam logo para o imaginário do deserto do Saara. As canções já têm o efeito de surpresa das primeiras apresentações porque já temos os discos em casa para matarmos saudades, mas a mestria com que tocam as suas músicas continua cheia de magia, e quase que sentimos a areia debaixo dos nossos pés.

Um olhar disperso pela sala a meio do concerto denúncia nas galerias do lado direito um jovem alto, magro, de camisa aberta, boné vermelho, a dançar vigorasamente inclinando o seu corpo de tal forma que ameaça voar sobre a plateia sentada. No lado oposto numa galeria mais perto do palco uma jovem atrai muitos olhares pela maneira fascinante, e sensual que serpenteia o seu corpo ao som da música dos mulçumanos. É esta a essência de um concerto dos Tinariwen, a sua música invade-nos o corpo e a alma.

A meio do concerto Vieux Farka Touré junta-se para um tema, a alegria estampada no rosto de Touré é absolutamente deslumbrante, e contrasta com as faces religiosamente tapadas dos Tinariwen. Esta gente é feliz, e usa a música para atingir essa felicidade. Vê-se e sente-se.

A partir daí a actuação dos tuaregues ainda subiu mais de intensidade, a passagem pelos disco editado este ano «Aman Iman_ Water is Life» foi arrebatadora e levou a que todo o público se levantasse e assim ficou até ao fim.

Um cheiro intenso a deserto, a felicidade em forma de música trazida pelos grandes homens de África.

in disco digital

David Sylvian no CCB Cancelado!

O Disco Digital avança que o concerto de David Sylvian no Centro Cultural de Belém foi cancelado, por motivo de doença do músico. Em breve, será anunciada uma nova data.
Os bilhetes adquiridos para o concerto de dia 21 de Outubro são válidos para a nova data. Quem estiver interessado na devolução do dinheiro deverá dirigir-se às bilheteiras do CCB.

19 outubro 2007

Blues do Deserto Hoje no CCB

Noite de blues do deserto para ver e ouvir no Centro Cultural de Belém. É o regresso do excelente som dos tuaregues Tinariwen ao nosso país. Eles que assinaram um dos primeiros concertos acompanhados aqui no blogue no ano passado e que pode ser recordado aqui: Tinariwen @ Club Lua.
Além dos Tinariwen vamos poder ver Vieux Farka Touré que promete ser uma grande revelação no palco do CCB. Filho do mítico Ali Farka Touré, é com as guitarras eléctricas e acústicas que se destaca.
Um grande serão em perspectiva.

18 outubro 2007

Kurt Wagner no Santiago Alquimista em Lisboa: Do Génio à Monotonia

Kurt Wagner regressou a Lisboa desta vez sozinho sem os restantes elementos dos Lambchop e encontrou uma sala bem composta de admiradores sentados e prontos para receber novas músicas, e clássicos despidos só apoiados na voz e guitarra. O que parecia ser uma boa ideia acabou por se arrastar para a monotonia de um concerto demasiado longo, e experimental.


Na véspera da visita a Lisboa, Kurt Wagner dizia ao Disco Digital: «Desta vez, sou só eu e a guitarra mas não me quero desligar dos Lambchop e aliás essas são as canções que vou interpretar. Acima de tudo, clássicos da banda. Espero que haja interacção com o público até porque a distância é menor. Quem sabe se não vou convidar alguém para me acompanhar em palco». Isto motivou os mais fiéis seguidores dos Lambchop que terão ficado algo desiludidos com o facto de terem ouvido poucos clássicos, muitos temas desconhecidos, e uma interacção fraca com o público.

Este foi o primeiro concerto neste formato a solo que Kurt deu na Europa, e ficou a ideia que serviu um pouco de experiência. Desfilou muitas canções novas, e não foi intercalando com temas esperados pela plateia que chegou a pedir as melhores músicas dos discos «Is a Woman», ou «Nixon», por exemplo.

O problema esteve na duração excessiva do concerto com um alinhamento mal pensado. Quase duas horas naquele registo torna-se cansativo para quem assiste, juntando o facto de estarmos a meio da semana de trabalho e Kurt só ter começado a tocar perto das 23h15. Acabou por ser a monotonia a vencer alguns momentos brilhantes que Kurt consegue arrancar.

Aliás, o vocalista dos Lambchop esteve impecável na comunicação, simpatia, e competência, acabando a noite a dar autógrafos na porta de saída do Santiago Alquimista.

Mas o que se pedia para uma noite destas era uma escolha mais selectiva dos temas a tocar, uma duração menos extensa, e mais intensidade. Assim tivemos o privilégio de assistir ao que será um ensaio de Kurt metido na solidão do seu quarto algures no outro lado do Atlântico enquanto fuma uns cigarros, e pendura as letras de cada canção que acaba de tocar num estendal improvisado à sua frente.

Privilégio interessante mas algo maçador.

Que regresse depressa com os Lambchop.

in Disco Digiral

Kurt Wagner no Santiago Alquimista: o Vídeo

17 outubro 2007

Hoje Kurt Wagner dos Lambchop no Santiago Alquimista

Logo à noite Kurt Wagner regressa aos concertos em Lisboa. Depois de passagens memoráveis pelas salas da Garetejo e Aula Magna, hoje Kurt apresenta-se sozinho com a sua guitarra no ambiente intimista do Santiago Alquimista.
Oportunidade a não perder para ouvir a beleza das canções dos Lambchop despidas de arranjos orquestrais. Para desfazer dúvidas deixo aqui extractos da entrevista que Wagner deu ao Disco Digital:

Vou a Lisboa apresentar as novas canções dos Lambchop que devem fazer parte de um álbum a editar, provavelmente, no próximo ano. Neste momento, não consigo dizer se são muito diferentes do resto do nosso percurso, se bem que nós temos coisas muito diferentes.


Não nos queremos repetir, por isso é que eu vim a solo. Apeteceu-me mas não estou a pensar continuar assim por muito tempo. É uma experiência nova na qual já tinha pensado há algum tempo mas que nunca se tinha concretizado. Desta vez, sou só eu e a guitarra mas não me quero desligar dos Lambchop e aliás essas são as canções que vou interpretar. Acima de tudo, clássicos da banda. Espero que haja interacção com o público até porque a distância é menor. Quem sabe se não vou convidar alguém para me acompanhar em palco.

16 outubro 2007

Época Alta

Tomem nota dos próximos concertos a não perder. São 3 em 5 dias!
Amanhã temos Kurt Wagner, vocalista dos Lambchop, no Santiago Alquimista.
Sexta é o regresso dos Tinariwen desta vez acompanhados de Vieux Farka Touré para uma noite de blues do deserto no CCB.
E domingo, também no CCB, há concerto de David Sylvian.

15 outubro 2007

Cool Train Crew - Compilação

Dez anos de actividades é um excelente pretexto para uma revisão da matéria dada, e para celebrar a existência de um colectivo de grande importância na área de dança em Portugal.
Já lá vai uma década desde que a Cool Train Crew apareceu com o propósito de divulgar um som mais próximo do drum & bass desviando atenções do house e tecno na altura no auge.
Começaram por ser vários DJs habituados aos espaços do Bairro Alto, desses só Johnny se mantém ao leme da Crew. Os outros destacam-se hoje nas suas opções; Tiago Miranda é DJ residente no Lux, é metade dos Dezperados, e membro dos Loosers. Nuno Rosa é outro Dezperados, e assina discos como Pink Boy. Dinis é um dos grandes DJ's de música de dança que pode ser ouvido no Lux, enquanto Rui Murka habita no Frágil e dedica-se a compilar temas remisturados por si com sucesso. Finalmente, temos Vítor Belanciano que assina das prosas mais respeitáveis na imprensa musical nas páginas do Público.
Todos eles contribuiram para a história da Cool Train Crew que por estes dias conta com Kalaf, Riot, Lil'John, os três com ligação comum nos Buraka Som Sistema, e Alx.
Actualmente o colectivo faz produção de concertos, com destaque para a vind dos 4 hero, ou Metalheadz, por exemplo, e também aposta na edição de discos com a Cool Train Records onde foi gravada a remistura de "Chiclete" dos Táxi.
É este, e outras remixes, que podemos encontrar neste disco de celebração de uma década de releituras a vários temas que vão dos Da Weasel, aos Blind Zero, passando pelos Blasted Mechanism.
Disponível a partir desta semana.

14 outubro 2007

A Pop Com Ela Deve Ser

Ou a apresentação do novo videoclip de Kylie Minogue de regresso em grande forma.
Recorde-se que este é o primeiro trabalho da australiana desde que lhe foi diagnosticado cancro da mama. Há novo disco no próximo mês, e para já temos Kylie em versão Marilyn Monroe a cantar "2 Hearts":

13 outubro 2007

Mariza no David Letterman's Show

Grande momento na carreira de Mariza anteontem à noite perante milhões de telespectadores no David Letterman's Show:

12 outubro 2007

Há Bailarico Sofisticado


Hoje à noite é obrigatório passar pelo Bar Lounge, perto do Cais do Sodré, e dançar até não poder mais. É o Bailarico Sofisticado que vai estar a dar música para começar o fim de semana da melhor maneira.

10 outubro 2007

Radiohead - In Rainbows

É o disco de que se fala. É o regresso aos originais dos Radiohead, e é um desafio ao comércio tradicional, leia-se indústria discográfica, ao ser um disco de tão fácil acesso digital.
Para ouvirem "in Rainbows" podem apontar para aqui: Radiohead

09 outubro 2007

Festival Jameson Urban Routes

O MusicBox vai receber o festival Jameson Urban Routes entre 25 de Outubro e 3 de Novembro.
Richard Dorfmeister, Boozoo Bajou, Bugz in the Attic, Outlines, StereoTyp, Cool Hipnoise, Micro Audio Waves, Rocky Marsiano estão já confirmados. Dia 25 a entrada será gratuita para todos os que quiserem comparecer no Cais do Sodré para o primeiro dia do evento.
O bilhete diário para os restantes dias será de 10 euros e inclui a oferta de um Jameson.
Os Bilhetes já estão à venda na Ticketline e nas lojas Fnac e Worten.

No dia 25, tocam Rocky Marsiano, Boozou Bajou (DJ) e Tiago Santos (DJ). O VJ será Edgar Alberto.

No dia seguinte, é a vez dos Micro Audio Waves, Mike Stellar (DJ), Richard Dorfmeister (DJ) e Vince Varga (VJ). A 27, actuam Cool Hipnoise, Stereotyp com Al Haca, Selecta Lexo com Prince Wadada e o DJ Alatak.

A 2 de Novembro, será a vez dos Bugz In The Attic e James Krohn com Melo D, com Moai como VJ. O festival encerra no dia 3 com os Nemo, Rui Maia (DJ, dos X-Wife) e Rui Murka, com X como VJ.

in Disco Digital

08 outubro 2007

Concertos no Casino de Lisboa de Borla

A partir de 22 de Outubro voltam os concertos de borla às segundas feiras no Casino de Lisboa. Até ao fim do ano a agenda é a seguinte:

22 Outubro - Coldcut (com Raj Pannu e MC Juice Aleem) e Jazzanova (DJ set)
29 Outubro - Ala dos Namorados
05 Novembro - Santos & Pecadores
12 Novembro - Delfins
19 Novembro - Tiago Bettencourt
26 Novembro - Nicole Willis & the Soul Investigators e Keb Darge (DJ set)
03 Dezembro - Fingertips
10 Dezembro - Paulo Gonzo
17 Dezembro - Roy Ayers Ubiquity e Gilles Peterson (DJ set)
25 Dezembro - André Sardet
31 Dezembro - The Gift, Buraka Som Sistema (DJ set) e Rui Murka & Kamala (DJ set)

07 outubro 2007

Ana Moura Leva o Fado ao CCB

Hoje à noite concerto de Ana Moura no CCB. A fadista será acompanhada pelos seus músicos habituais, Custódio Castelo (guitarra portuguesa), Jorge Fernando (viola) e Filipe Larsen (viola-baixo) e contará com as participações especiais de Fausto, Tim Ries, Zé Pato e Pedro Jóia.

06 outubro 2007

Beduínos a Gasóleo - A Estreia Hoje

Sugestão para hoje à noite no Santiago Alquimista:

Conheçam o projecto aqui: Beduínos a Gasóleo.

Recordando: Morcheeba - Big Calm

Há dez anos os Morcheeba viviam entre o rescaldo de uma estreia auspiciosa com
"Who Can You Trust?" e o sempre complicado segundo disco da carreira que se veio a revelar como confirmação de qualidade. "Big Calm" era o nome do segundo disco da banda onde brilhava Skye na vocalização. A canção que ilustra este post é Blindfold e mostrava o melhor dos Morcheeba.
Depois em 2000 veio "Fragments Of Freedom", onde se pode encontrar Rome Wasn't Built in a Day, um belo exercício pop ainda hoje, para em 2002 o disco "Charango" fechar o ciclo interessante da banda. Ainda houve tempo para um Best Of, e umas compilações, mas os Morcheeba tal como os conhecemos acabaram por ali.
Por estes dias a vocalista Sky já tem um disco a solo editado, e os Morcheeba regressaram à edição de originais com o disco The Antidote já com Daisy Martey no lugar de Skye Edwards.
Hoje recordemos uma das grandes canções do período de ouro dos Morcheeba, Blindfold:

05 outubro 2007

Mark Knopfler a 4 de Abril no Campo Pequeno



Mark Knopfler vai regressar ao nosso país no próximo ano. O concerto de apresentação do excelente novo disco Kill To Get Crimson está marcado para o dia 4 de Abril do próximo ano no espaço de concertos do Campo Pequeno.

04 outubro 2007

Fados de Carlos Saura

Fica a sugestão para o fim de semana prolongado, o filme Fados do espanhol Carlos Saura estreia esta semana e promete ser um bom objecto de discussão para os próximos tempos. Para já fica a sugestão de irem ao cinema ver como Saura filmou o nosso fado.

03 outubro 2007

Arcade Fire

Fãs dos Arcade Fire marquem o endereço beonlineb e no sábado vejam que surpresa a banda canadiana está a preparar.

02 outubro 2007

José Cid no Campo Pequeno

Avança a Bliz; José Cid vai actuar no Campo Pequeno, em Lisboa, no dia 24 de Novembro e contará em palco com a participação do Quarteto 1111 e outros convidados especiais ainda não confirmados. Os bilhetes custam entre €15 e €25.

01 outubro 2007

Notícia Radiohead em Dia da Música

O novo álbum dos Radiohead vai ser editado na próxima semana. «In Rainbows» está disponível para encomenda por via digital e cada comprador decide o preço a pagar.
«In Raibows» vai estar disponível a partir de 10 de Outubro, em CD e em duas edições em vinil de doze polegadas. Há ainda um segundo CD com fotografias, raridades e trabalho gráfico.
in disco digital