31 maio 2008

Rock In Rio-Lisboa 2º Dia: programa

O segundo dia do Rock In Rio espera uma enchete semelhante à da primeira noite. Bon Jovi e Alanis Morissette são os nomes com mais força para hoje.

Este é o horário para hoje:
Palco Sunset
NBC e Verónica Larrene – 17h00
João Gil, Tito Paris e Marisa Pinto – 18h15
Expensive Soul e Sara Tavares (homenagem a Rui Veloso) – 19h45

Palco Mundo
Skank – 19h00
Alanis Morissette - 20h30
Alejandro Sanz – 22h00
Bon Jovi – 23h45

Tenda Electrónica
Carl Cox
Christian Smith
Darren Emerson
Carlo Dall`Anese

Rock In Rio-Lisboa 1º Dia: Soul sem alma


O palco Mundo do Rock in Rio 2008 teve logo na sua noite de estreia um daqueles momentos que ficará na história dos concertos em Portugal com a passagem de Amy Winehouse por Lisboa. Uma actuação decadente que contrastou com a energia aeróbica de Ivete Sangalo que arrasou com a multidão que encheu o Parque da Bela Vista que foi chegando ao recinto ao som de Paulo Gonzo e foi saindo à medida que Lenny Kravitz prolongava as suas músicas até ao limite do aceitável.

O que interessa reter desta noite de estreia do Rock in Rio 2008 é que Amy Winehouse apareceu mesmo em palco, o que já foi uma primeira satisfação para público e organização. Já passava das 22h35 quando Amy se mostrou à plateia. Começou com «Addicted» e logo se percebeu que o seu estado estava longe da sobriedade. Foi um concerto na corda bamba, de voz rouca, desiquilibrada nos seus saltos bem altos, e condicionada pelo excesso de consumo de álcool, ou drogas, ou ambos, Amy foi o expoente máximo da figura decadente, e degradante da cultura pop. Um concerto tão mau, tão desastroso que entra directamente para um lugar de destaque na história das lendas ao vivo, e que acaba por ser memorável. Falhas de voz, perdas de sapatos, enganos nas letras, cantar fora de tom, tudo o que uma estrela decadente deste meio pode oferecer a uma plateia pronta a celebrar a desgraça de uma figura à escala mundial. Foi quase uma hora de circo em que Amy se aguentou no limite cumprindo o alinhamento previsto que contemplou todos os sucessos que se queriam ouvir. Tão mau como inesquecível.

Quem não vacila em palco é a brasileira Ivete Sangalo que já faz parte do imaginário Rock in Rio Lisboa nunca falhando a sua visita. Rolou bem a festa como diz a canção e espalhou toda a sua classe em palco com os diálogos empolgantes, desfilando os temas mais esperados para quase cem mil espectadores que não pararam de pular, cantar, dançar, deixando Ivete completamente à vontade para assinar mais uma grande passagem por Lisboa. Levantou poeira, muita poeira, como era de esperar.

A fechar a noite esteve Lenny Kravitz com o seu rock arrastado, esticando os seus sucessos em longos solos aborrecidos, e fazendo render um alinhamento de 16 canções que apostou numa recta final recheada de êxitos como «Mr. Cab Driver», «Dig In», «Fly Away», ou o inevitável «Are You Gonna Go My Away» com que encerrou a primeira noite do Rock in Rio.

A honra de abertura do Palco Mundo coube ao português Paulo Gonzo que foi recebendo os milhares de espectadores que iam enchendo o recinto e que corresponderam de imediato aos apelos dos refrões das conhecidíssimas «Jardins Proíbidos», ou «Quase Tudo», e que ainda surpreendeu com uma versão de «Blue Jean» de David Bowie.

Assim foi a primeira noite do Rock in Rio 2008 marcada pela actuação inquietante de Amy Winehouse.

Rock In Rio-Lisboa 1º Dia: Fotos




(fotos: Rita Carmo)

30 maio 2008

Grandes Sons nos 5 Dias do Rock in Rio

O Grandes Sons vai estar alojado nos 5 dias do Rock in Rio.
Profissionalmente a fazer a cobertura do evento para o Diário Digital / Disco Digital, podem contar com actualizações, informações, imagens, e vídeos a partir do Parque da Bela Vista nos próximos dias.

Rock in Rio Começa Hoje

Começa hoje a Terceira edição lisboeta do Rock In Rio e logo com lotação esgotada. Amy Winehouse é a figura mais esperada do festival. Lenny Kravitz, Paulo Gonzo e Ivete Sangalo acompanham-na no cartaz.

Em entrevista ao Correio da Manhã, a directora do Rock In Rio, Roberta Medina, garantiu a vinda de Amy Winehouse ao festival.«Vem, vem mesmo! Se ela não viesse nesta altura nós já saberíamos, com toda a certeza», disse.

Devido à elevada afluência de público prevista, a CP anunciou mais um comboio especial para a Linha de Cascais, que parte do Cais do Sodré às 4h20, para além do comboio que já estava previsto e com partida marcada para as 3h00 da manhã. Também da Linha de Sintra partirá um comboio especial às 2h30.

Cerca de 800 jornalistas, incluindo um do Cazaquistão, estão acreditados para o terceiro Rock in Rio Lisboa. Estarão presentes sobretudo jornalistas portugueses, mas também de Espanha, França, Estados Unidos, Itália, Alemanha, Holanda, Suíça, Rússia e um correspondente do Cazaquistão.

Para hoje, há ainda diálogos entre os Philharmonic Weed e Prince Wadada (17h00), Ricardo Azevedo e Lúcia Moniz (18h15) e Sam The Kid e os Cool Hipnoise (19h45) no palco Sunset. Na tenda electrónica, vão actuar Diego Miranda, Mary Zander, Paul Van Dyk e Axwell.

No Porto: Vampire Weekend , Young Marble Giants, Lightspeed Champion e These New Puritans

Os Vampire Weekend estreiam-se hoje em Portugal com um concerto na Casa da Música. A banda vem apresentar o álbum homónimo, já deste ano.
Amanhã actuam Young Marble Giants, Lightspeed Champion e These New Puritans. Os concertos fazem parte das noites Clubbing.

29 maio 2008

28 maio 2008

TUDO Sobre o 10º Festival Músicas do Mundo de Sines

O Festival Músicas do Mundo de Sines comemora 10 anos com 10 dias de concertos
O pai do rock chinês, Cui Jian, a diva da música indiana, Asha Bhosle, e o grupo seminal do movimento hip hop, The Last Poets, são três destaques entre os 40 espectáculos programados.

O maior evento na área da “world music” realizado em Portugal, o FMM Sines - Festival Músicas do Mundo comemora o seu 10.º aniversário com um programa de 10 dias de música e iniciativas paralelas. O pai do rock chinês, Cui Jian, a diva da música indiana, Asha Bhosle, e o grupo seminal do movimento hip hop, The Last Poets, são três destaques do programa de 40 concertos marcado para entre os dias 17 e 26 de Julho.

Repartido por quatro palcos, um na aldeia de Porto Covo (junto ao Porto de Pesca) e três na cidade de Sines (Castelo, Avenida Vasco da Gama e Centro de Artes), o festival 2008 apresenta um retrato sonoro do mundo no início do século com alguns dos mais destacados criadores musicais actualmente a trabalhar em África, Ásia, Américas, Europa e Médio Oriente.

ÁFRICA

De África, logo no primeiro dia, 17 de Julho, chega a estrela do ano no circuito “world music”. Originário do Mali, Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba acaba de vencer as categorias de melhor grupo africano e melhor disco do ano nos mais prestigiados prémios de “world music”, atribuídos pela BBC Radio 3.

Premiados pela BBC na categoria Cruzamento de Culturas -, Justin Adams & Juldeh Camara (Reino Unido / Gâmbia) incendeiam o FMM com o repertório do disco “Soul Science”.

Responsável por outro dos discos do ano, “Made in Dakar”, um dos grupos pioneiros da pop africana, Orchestra Baobab (Senegal), apresenta um espectáculo onde África e Cuba se encontram.

Vindos da República Democrática do Congo, os Kasaï Allstars criam uma festa original com instrumentos locais electrificados.

Mais próximo da tradição, Dizu Plaatjies’ Ibuyambo Ensemble (África do Sul) traça um percurso pelas melhores músicas da África subsariana.

A cantautora maliana Rokia Traoré, uma das mais interessantes jovens artistas do continente, apresenta o seu novo disco “Tchamanché”, lançado em Maio.

Toto Bona Lokua (Antilhas Francesas / Camarões / R. D. Congo) junta os músicos Gerald Toto, Richard Bona e Lokua Kanza num espectáculo de grande requinte vocal e acústico.

A cantora Herminia, uma das pérolas da música cabo-verdiana, e o artista que deu dimensão global à música de Angola, Waldemar Bastos, representam os países africanos de expressão portuguesa.

ÁSIA

Cui Jian, uma das mais importantes figuras da música moderna chinesa, marca o programa asiático do festival. Grande responsável pela criação de uma cultura rock no país do Sol Nascente, Cui Jian faz em Sines a sua estreia em Portugal.

Também em estreia nacional no FMM estará Asha Bhosle. Diva maior da música de Bollywood, com um recorde de mais de 12 mil canções gravadas, é uma das figuras mais amadas pelo povo indiano e uma das grandes cantoras do mundo.

Do Paquistão, chega Asif Ali Khan & Party, com o canto hipnótico de um dos mestres da música “qâwwali”.

AMÉRICAS

Os EUA marcam em 2008 uma das presenças mais fortes de sempre no Festival Músicas do Mundo.

O grande destaque é The Last Poets, grupo de músicos poetas nascido no contexto das lutas pelos direitos civis dos anos 60 que está na origem da fundação do movimento hip hop.

A orquestra Antibalas, autora de um dos melhores discos de 2007, “Security”, transporta o afrobeat para a nova geração.

Um dos grupos pioneiros do punk de fusão, Firewater, traz a Sines o repertório do seu novo disco, “The Golden Hour”, onde o rock entra em diálogo com as músicas do Oriente.

Depois de um longo período passado na África Ocidental, o quinteto instrumental Toubab Krewe dá uma reinterpretação rock às músicas da região.

Ainda originária dos EUA, Hazmat Modine, uma das melhores bandas das Américas no ano que passou, inventa uma banda sonora global para a metrópole Nova Iorque.

Considerado um dos mais promissores poetas do Reino Unido, Anthony Joseph, natural da ilha caribenha de Trinidad, traz um espectáculo de “spoken word” com a sua The Spasm Band e o convidado americano Joe Bowie, ex-Defunkt.

A Tribute do Andy Palacio feat. Special Guests conta com músicos “garifuna” do Belize e das Honduras para um concerto de tributo a Andy Palacio, vencedor da categoria “Américas” nos últimos prémios da BBC, falecido no início deste ano.

Nortec Collective presents Bostich and Fussible (México) cruza música “norteña” mexicana e música techno para uma noite de dança.

Do Brasil vem o forró de Silvério Pessoa e de Siba e a Fuloresta, dois projectos enquadrados na renovação da música do Nordeste.

EUROPA

O contingente português do FMM 2008 inclui o novo fado de A Naifa, a dupla instrumental Dead Combo, a cantora / compositora Danae (que faz em Sines a apresentação oficial do seu novo disco, “Cafuca”), e dois espectáculos com a marca FMM: o novo espectáculo audiovisual do quarteto de concertinas Danças Ocultas e o quinteto Mandrágora, que se deslocou à Bretanha para uma residência artística e apresenta os seus resultados em exclusivo neste festival.

A revelação da música galega, Marful, traz o espectáculo “Salón de Baile”, com fortes influências da América Latina. Também da Galiza, Serra-lhe Aí!!! & Os Rosais trabalham a música festiva das tabernas e aldeias da região.

A zona do Mediterrâneo europeu é representada pelos marselheses Lo Còr de la Plana, que recuperam a música polifónica da Occitânia, e pelo novo espectáculo do italiano Enzo em Sines o repertório do disco “Gee Whiz, but this a Lonesome Town” (2007).

A checa Iva Bittová, uma das figuras mais originais da vanguarda contemporânea, dá em Sines um concerto a solo, apenas com a força da sua voz e do seu violino.

Moskow Art Trio (Rússia / Noruega) é um laboratório de jazz, folclore e música clássica.

A “big band” belga Flat Earth Society junta-se ao mago finlandês Jimi Tenor para um espectáculo imprevisível em que o jazz é apenas um de mil ingredientes.

KTU, o projecto constituído pelo acordeonista finlandês Kimmo Pohjonen e dois ex-membros da banda de rock progressivo King Crimson, está em Sines com disco novo na forja.

Com núcleo na Suíça, o quarteto Doran – Stucky – Studer – Tacuma pega no legado de Jimi Hendrix e constrói uma “jam session” poderosa.

MÉDIO ORIENTE

O Médio Oriente é em 2008 representando por dois projectos israelitas.

Koby Israelite, compositor e acordeonista israelita radicado no Reino Unido, mostra como a sua fusão de jazz com klezmer e música cigana se destaca no novo catálogo da editora Tzadik.

Com ambientes Kusturica e Tarantino, a banda de “surf rock” Boom Pam dá o último concerto do FMM.

INICIATIVAS PARALELAS

O programa do festival prolonga-se num conjunto de iniciativas paralelas, que incluem ateliês para crianças e adolescentes ministrados por artistas do festival, workshops e conversas com artistas, um ciclo de cinema dedicado ao tema das migrações, “jam sessions” e DJing.

Nos dois dias anteriores ao início do festival (15 e 16 de Julho), realiza-se o seminário “A Barreira do Som: Música, Cultura e Nação”, organizado em conjunto pela Câmara Municipal de Sines e pelo INET - Instituto de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa. Com coordenação científica de Manuel Deniz Silva, constituirá um momento de reflexão sobre o fenómeno da “world music” e sobre as identidades musicais no contexto do mundo globalizado.

Considerado um dos eventos musicais de referência realizados em Portugal, o Festival Músicas do Mundo recebeu, desde a sua criação em 1999, mais de 120 concertos e um total estimado de 240 mil espectadores. É uma organização da Câmara Municipal de Sines.

ALINHAMENTO COMPLETO DOS CONCERTOS

Quinta-feira, 17 de Julho

Siba e a Fuloresta (Brasil), 19h00, Ruas do CAS
Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba (Mali), 22h00, Auditório do CAS
Serra-lhe Aí!!! & Os Rosais (Galiza), 00h00, Ruas do CAS

Sexta-feira, 18 de Julho

A Naifa (Portugal), 21h30, Porto Covo
Herminia (Cabo Verde), 23h00, Porto Covo
Hazmat Modine (EUA), 00h30, Porto Covo

Sábado, 19 de Julho

Flat Earth Society meets Jimi Tenor (Bélgica / Fin.), 21h30, Porto Covo
The Last Poets (EUA), 23h00, Porto Covo
Enzo Avitabile & Bottari (Itália), 00h30, Porto Covo

Domingo, 20 de Julho

Danças Ocultas (Portugal), 21h30, Porto Covo
Asha Bhosle (Índia), 23h00, Porto Covo
A Tribute to Andy Palacio feat. Special Guests (Belize / Honduras), 00h30, Porto Covo

Segunda-feira, 21 de Julho

Moscow Art Trio (Rússia / Noruega), 22h00, Auditório do CAS
Lo Còr de la Plana (Occitânia), 23h30, Auditório do CAS
Danae (Portugal), 01h00, Ruas do CAS

Terça-feira, 22 de Julho

Iva Bittová (Rep. Checa), 22h00, Auditório do CAS
Moriarty (EUA / França), 23h30, Auditório do CAS
Dead Combo (Portugal), 01h00, Ruas do CAS

Quarta-feira, 23 de Julho

Waldemar Bastos (Angola), 21h30, Castelo
Justin Adams & Juldeh Camara (R. Unido / Gâmbia), 23h00, Castelo
Kasaï Allstars (RD Congo), 00h30, Castelo
Anthony Joseph & The Spasm Band feat. Joe Bowie (Trinidad / R. Unido / Estados Unidos), 02h30, Av. Praia

Quinta-feira, 24 de Julho

Mandrágora & Special Guests (Portugal / Bretanha), 19h30, Av. Praia
Marful “Salón de Baile” (Galiza), 21h30, Castelo
Toto Bona Lokua (Antilhas Fr./Camarões/Congo), 23h00, Castelo
Orquestra Baobab (Senegal), 00h30, Castelo
Silvério Pessoa (Brasil), 02h15, Av. Praia
Toubab Krewe (EUA), 03h45, Av. Praia

Sexta-feira, 25 de Julho

Rachel Unthank & The Winterset (Reino Unido), 19h30, Av. Praia
Asif Ali Khan & Party (Paquistão), 21h30, Castelo
KTU (Finlândia/EUA), 23h00, Castelo
Cui Jian (China), 00h30, Castelo
Firewater (EUA), 02h15, Av. Praia
Nortec Collective presents Bostich and Fussible (México), 03h45, Av. Praia

Sábado, 26 de Julho

The Dizu Plaatjies’ Ibuyambo Ensemble (África Sul), 19h30, Av. Praia
Koby Israelite (Israel / Reino Unido), 21h30, Castelo
Rokia Traoré (Mali / França), 23h00, Castelo
Doran - Stucky - Studer - Tacuma (Irl. / Suíça / EUA), 00h30, Castelo
Antibalas (EUA), 02h30, Av. Praia
Boom Pam (Israel), 04h00, Av. Praia

BILHETES

Concertos no Auditório do Centro de Artes: 10 euros / dia
Concertos nas ruas do Centro de Artes: entrada livre
Concertos em Porto Covo: 5 euros / dia
Concertos no Castelo: 10 euros / dia
Concertos na Avenida Vasco da Gama: entrada livre

Mais informações: www.fmm.com.pt

Madonna no Parque da Bela Vista

A Everything is New associa-se à Live Nation para apresentar em exclusivo, num concerto único, a 14 de Setembro em Lisboa, no Parque da Bela Vista, “The World's Tastiest Sweetheart”, Madonna.
Os bilhetes para o espectáculo em Portugal são colocados à venda, este sábado, dia 31 de Maio às 10 horas da manhã, nos locais habituais, sendo de prever uma procura massiva logo nas primeiras horas.
Os membros do clube de fãs de Madonna, Icon, terão acesso a um período especial de aquisição antecipada, dias 29 e 30 de Maio, através do site oficial www.madonna.com.

27 maio 2008

Hoje Há Boris na LX FACTORY - Alcântara

Vale a pena conferir a apresentação feita pela ZdB:
Apóstolos do analógico, missionários da força transcendental do rock, os japoneses Boris desenham à força de impetuosos projécteis sonoros um colossal arco de ruído maravilhado, absorto na experiência psicadélica. A estreia do trio em Lisboa - que na verdade será um quarteto, dada a presença em palco do über-notável Michio Kuriahara (Ghost, White Heaven, The Stars) - coloca, por uma noite, Alcântara como destino de todas as viagens.

Formados em 1992 por Atsuo, Wata, Takeshi e Nagata (que deixou a banda em 1996, reduzindo-os a um enorme power trio), os Boris escapam à catalogação preguiçosa, explorando géneros tão aparentemente díspares como o drone metal (as afinidades com os norte-americanos Sunn O))) e Earth são evidentes), o stoner rock psicadélico (pensem nos californianos Quicksilver Messenger Service e em todas as outras jam bands alucinógenas dos anos 60) ou o noise (Merzbow é uma referência inevitável, embora aqui o estrondo seja mais orgânico e visceral, mais próximo da verve de Keiji Haino, com quem já colaboraram em algumas ocasiões). A discografia nunca mais acaba (dezassete álbuns, mais uma imensidão de EP's e singles), mas registos como "Pink" (disco do ano em 2006?), o duplo "Altar" (também de 2006, em colaboração iluminada com os Sunn O))) de Stephen O'Malley) e "Smile" (o novo álbum, embebido na memória do glam rock japonês dos anos 70) reerguem a revolta para bem alto e justificam uma referência especial.

Ao vivo, a investida Boris assalta os tímpanos com uma muralha de som simultaneamente avassaladora e irresistível, diferente de todas as outras. Nada no mundo conhecido soa como a algo sequer parecido. Hoje estreiam-se em Lisboa e não duvidem, a cidade vai ser deles. Vocês vão fazer o quê, ficar em casa?

Cat Power @ Coliseu: Texto e Alinhamento


(Fotos: Rita Carmo, in blitz)

Alinhamento:
Don't Explain
A woman left lonely
silver stallions
new york, new york
i lost someone
dreams
lord help the poor and needy
dark end of the street
she's got you
metal heart
making believe
hey aretha
ramblin' (wo)man
blue
where is my love
the moon
the greatest
lived in bars
life of the party
could we
satisfaction
black angels (angelitos negros)
i've been loving you

texto
Cat Power por Lia Pereira

Cat Power @ Coliseu Lisboa: Video

Cat Power @ Coliseu Lisboa: Fotos




26 maio 2008

Cat Power no Coliseu de Lisboa Logo à Noite


Depois do excelente concerto na Aula Magna, Cat Power volta a Lisboa para um concerto na mais nobre sala de espectáculos de Lisboa.
Um Coliseu esgotado recebe logo à noite Cat Power com o seu novo disco de versões na bagagem. Espera-se grande noite para arrancar uma semana louca de concertos.

CocoRosie Hoje em Coimbra

À atenção dos leitores da região centro o concerto de hoje das CocoRosie no Teatro Académico Gil Vicente em Coimbra a partir das 21h30.
A primeira parte é de Quinn Walker. Os bilhetes custam entre 18 e 20 euros.
Amanhã as CocoRosie vão estar em Braga.

25 maio 2008

Deolinda - Canção ao lado



Este é o caso que de um projecto que se destaca nos palcos e nos faz correr atrás do disco. Para os leitores mais atentos o nome da Deolinda andou por aqui há poucas semanas envolvido em grandes elogios graças ao concerto no cinema São Jorge em Lisboa que serviu de apresentação a esta «Canção ao Lado».

Portanto é com confiança que partimos para a análise ao disco de estreia da Deolinda porque já sabemos do excelente resultado da interpretação ao vivo destas canções.

No álbum, «Canção ao lado» encontramos catorze temas que fazem do projecto uma das estreias mais promissoras do ano.

Sendo directo direi que há aqui de caras três clássicos instântaneos, parafraseando o saudoso jornalista Fernando Magalhães, que dão pelo nome de «Fon-Fon-Fon», «Fado Toninho», e «Movimento Perpétuo Associativo». Se mais não fosse necessário só com estes 3 cartões de visita a Deolinda estava bem apresentada. Está tudo aqui. O quarteto liderado pela imponente voz, e forte presença, de Ana Bacalhau parte do imaginário do fado para extravasar fronteiras que podem ir da pop, ao samba. As letras são inteligentes, mordazes, e bem humoradas.

A Deolinda tem a força precisa para emergir no cenário actual da música portuguesa com uma marca chegada às nossas raízes, e com a garra própria das almas jovens que querem ir mais além, e chegar a mais ouvidos.

Da nossa parte a Deolinda tem lugar cativo na linha da frente do que de bom há para divulgar entre os projectos da música feita no nosso país.

Deolinda
«Canção Ao Lado»
iPlay

24 maio 2008

Eurovision


Hoje há a final ( a versão moderna é assim com fases finais e tudo ) do sempre folclórico festival da canção da Europa.
Recorde-se aqui o que escrevi há dois anos sobre estes concurso ( aqui fica a mítica, e inesquecível interpretação da Jugoslávia em 1990 com a grande Tajci a cantar "Hajde Da Ludujemo")

Este ano Portugal é finalista pela voz de Vânia Fernandes com a canção "Senhora Do Mar (Negras Águas)".
Destaque para a bela presença da Ucrânia e da Grécia.
Site oficial: Eurovision

23 maio 2008

Novas de Manuel Cruz

A voz dos saudosos Ornatos Violeta, e também dos Pluto, dá sinais de vitalidade.
Agora no projecto Foge Foge Bandido temos já disponível para visita um site dedicado e com canções novinhas e prontas a serem escutadas lá.
Façam favor de ir até: Foge Foge Bandido

Hoje Há Bailarico

22 maio 2008

Tindersticks no Sudoeste

Ganha forma final o cartaz do Sudoeste. Confirmam-se agora os Tindersticks que regressaram este ano aos originais com um disco bem conseguido.
O festival realiza-se entre os dias 7 e 10 de Agosto na Zambujeira do Mar, como habitualmente, e conta, além dos artistas agora anunciados, com os seguintes nomes inscritos no cartaz:
Björk, Franz Ferdinand, Goldfrapp, Chemical Brothers, Cut Copy, Nitin Sawhney, Tinariwen, Jorge Palma, Vanessa da Mata, Rita Redshoes, Junior Boys, Fat Freddy's Drop, Fanfarlo, Yael Naim e Melee, além da companhia teatral La Fura dels Baus e da Samsung Experience, uma zona electrónica especial.

Madonnna de Regresso a Lisboa

Madonna vai actuar a 28 de Setembro no Estádio de Alvalade, num concerto promovido pela Ritmos & Blues.
A notícia é avançada no site www.drownedmadonna.com.
A data faz parte da incursão europeia da Sticky & Sweet Tour.
Depois do concerto em nome próprio no Atlântico, e de ter acutado nos prémios europeus da MTV é o regresso de Madonna a Lisboa.

21 maio 2008

Entrevista Com o Grande Tom Waits

Está na Anti.com e é imperdivel.
Aqui: TOM WAITS' TRUE CONFESSIONS


Q: What's the most curious record in your collection?
A: In the seventies a record company in LA issued a record called "The best of Marcel Marceau." It had forty minutes of silence followed by applause and it sold really well. I like to put it on for company. It really bothers me, though, when people talk through it.

20 maio 2008

Adriana Calcanhotto no Coliseu: Apagão no Oceanário

O concerto de apresentação do novo disco «Maré» já levava mais de uma hora de duração quando Adriana cantava «Mulher sem Razão» que subitamente se tornou em mulher sem ... luz! O Coliseu de Lisboa ficou sem electricidade e o espectáculo ficou abruptamente interrompido. Quase meia hora depois , e sem solução eléctrica à vista, a compositora de Porto Alegre resolveu regressar para ao palco com o seus músicos para fazer um encore verdadeiramente unplugged para delícia dos fãs resistentes que entretanto trocaram as cadeiras da plateia por lugares improvisados bem perto do palco para ouvir os últimos temas da noite ao natural. Inesquecível.

Há momentos assim. Uma falha de energia na zona onde está o Coliseu dos Recreios foi o suficiente para marcar este concerto de estreia do novo espectáculo de Adriana Calcanhotto no nosso país. Daqui a uns anos perdura na memória a noite em que a brasileira cantou, e tocou, sem microfones e com as luzes de presença da sala acesas para a plateia lisboeta, fruto de um acidente que julgamos ser inédito naquele espaço.

Até aí Adriana tinha encantado uma sala longe de estar cheia com a apresentação dos excelentes novos temas do disco «Maré». Esta série de concertos é baseado no tema mar que serve de pretexto para uma trilogia na discografia da cantora brasileira. Tudo começou com «Marítimo» em 1998, e agora chega a meio com este «Maré».
São estes os disco que contribuem com o maior número de canções para um espectáculo cuidadosamente pensado a nível visual com o cenário do palco bem azul simulando o fundo do mar onde a banda de Adriana está a tocar. Um oceanário com a banda sonora perfeita, onde se destaca a cantora de vestido vermelho, sentada com o seu violão, a cantar e encantar.

Apesar do fio condutor andar entre os discos dedicados ao mar, Adriana não resistiu a agitar o sossegado público com visitas aos seus estrondosos êxitos como "Vambora", e até uma passagem pelo universo Partimpim com «Fico Assim Sem Você», altura em que perguntou se havia crianças na plateia. Não havia, mas os adultos adoraram, e agradeceram.

De «Maré» foram tocados quase todos os temas, e até um outro que Adriana confessou não saber porque é que não entrou, com destaque para a canção que tem tudo para ser o próximo hino de Calcanhotto por cá; «Um Dia Desses».

Quem se sentiu lesado com o imprevisto acidente pode contactar a organização do concerto que garantiu ao Disco Digital que acede a dar entrada para o concerto de hoje no mesmo local, ou devolver o dinheiro caso seja esse o desejo do espectador que , mesmo assim, viu mais de 80% do alinhamento em condições normais.

in: disco digital

Adriana Calcanhotto no Coliseu - Apagão no Oceanário: O Alinhamento (previsto)

19 maio 2008

Ritual Rock

No Porto com entrada gratuita nos jardins do Palácio de Cristal;
29 de Agosto: Sam The Kid, Tiago Bettencourt & Mantha e Micro Audio Waves
30 de Agosto:Buraka Som Sistema, Linda Martini e Rita Redshoes

18 maio 2008

A Deolinda Vai ao Sudoeste

É a Deolinda conquistar o país aos poucos. Já está confirmada para o Sudoeste.
Aqui fica o vídeo do grande "Fado Toninho":

17 maio 2008

Novas dos Cure

Diz a Blitz: Para tornar a espera dos fãs mais suportável, Robert Smith decidiu lançar um single por mês até à edição do álbum. Curiosidade: todos os singles são editados no 13º dia de cada mês e vêm acompanhados de lados B que não serão incluídos no álbum, por ora sem título.

Vídeo de «The Only One»:

16 maio 2008

Camané Chega ao Coliseu

Não é a primeira vez em que Camané vai cantar no Coliseu dos Recreios mas é a sua estreia a solo na sala emblemática de Lisboa.
Para uma plateia que se espera esgotada, o fadista vai aprentar o mais recente «Sempre de Mim», que ainda esta semana ocupa o terceiro lugar do top nacional de álbuns. Os bilhetes custam entre 10 e 30 euros.

15 maio 2008

3 Anos de Saudade: Fernando Magalhães

Muitas, muitas saudades!

Que nunca nos esqueçamos do grande Fernando Magalhães:
http://poeira-cosmica-fm.blogspot.com/
http://fmstereo.awardspace.com/

Scarlett Johansson a Cantar Tom Waits

O álbum de estreia de Scarlett Johansson, «Anywhere I Lay My Head», está disponível para escuta online em www.imeem.com/scarlettjohansson

14 maio 2008

Festival da XXIV Semana Académica de Lisboa



O Festival Académico de Lisboa regressa este ano ao Parque Tejo entre os dias 14 e 17 de Maio para celebrar na máxima força o espírito académico.
Inserido na XXIV Semana Académica de Lisboa, o Festival conta este ano com um alinhamento invejável: Da Weasel (que venceram recentemente o Globo de Ouro para Melhor Grupo), Marcelo D2, Sizzla, Quim Barreiros, Blasted Mechanism, Primitive Reason e ainda uma All Star Band constituída especialmente para este evento por Tim, dos Xutos e Pontapés, Sam The Kid, Expensive Soul, Sara Tavares, Cool Hipnoise, Santos & Pecadores e Prince Wadada.
A estes nomes acrescem ainda alguns dos mais recentes fenómenos de popularidade da música portuguesa, com destaque para os Kalashnikov e os Soulbizness.

Quatro dias do mais intenso entretenimento no Parque Tejo, é o que se espera de mais uma edição da maior festa do espírito académico de Lisboa!

13 maio 2008

Mandrágora - «Escarpa»

Em 2005 o panorama da chamada música tradicional portuguesa abanava com o aparecimento dos portuenses Mandrágora autores de um disco de estreia que os levou a vencer o prémio Carlos Paredes um ano depois. Volvidos três anos e os Mandrágora regressam em formato revisto e aumentado e com novos caminhos na sua música.

Chama-se «Escarpa» o novo disco da banda e é um exercício surpreendente em relação ao que se conhecia do seu universo. E como cresceu musicalmente o projecto Mandrágora! A referência tradicional que marcava o disco de estreia, bem apoiada nos sons das flautas, continua lá, mas agora as canções são mais musculadas, ganharam matéria prima mais cara ao jazz muito graças à entrada de Sérgio Calisto e João Serrador, músicos dados ao improviso.

A verdade é que «Escarpa» é um registo muito equilibrado, e interessante, que tem como base a rica tradição portuguesa mas que vai muito além desse formato para crescer para peças que chegam a fazer lembrar as explosões intrumentais do chamado post-rock praticado por bandas como os Explosions in the Sky. Pode soar estranho mas na prática resulta em pleno, isto porque a maior parte do álbum vive de temas intrumentais que usam a fórmula de soar calmo até elevar a tensão ritmica ao máximo. A excepção é «Abaixo Esta Serra» tema cantado por Francisco Silva em bom português e que é um ponto alto do disco.

Uma passo em frente arriscado mas muito importante e bem conseguido que coloca os Mandrágora na linha da frente da inovação instrumental a partir das raízes tradicionais. «Escarpa» numa palavra é estimulante.

The National na Aula Magna: Vídeos

secret meeting

mistaken for strangers

brainy

12 maio 2008

The National na Aula Magna: Provavelmente a melhor banda do mundo


(foto: Rita Carmo in: blitz)

E para os que já torcem o nariz perante um título tão pomposo pede-se que pensem numa banda actual que tenha um vocalista com tanta presença em palco, com tanto charme, bem humorado, e que apresente canções tão arrebatadoras quanto «Fake Empire», ou «Squalor Victoria», e com letras tão interessantes. Uma banda que assine discos como «Boxer» e que os defenda de forma absolutamente brilhante ao vivo como os The National fizeram em Lisboa. É mesmo caso para nos lembrarmos da publicidade da cerveja, bebida tão apreciada pelo grupo, provavelmente a melhor banda do mundo.

O disco editado no ano passado, «Boxer» é um daqueles casos raros de unanimidade entre critica e consumidores. Foi eleito como um dos melhores discos do ano por leitores, e redacções de revistas, jornais e páginas de internet. Nesta sua estreia em Lisboa os The National arrasaram de vez assinando grandioso concerto. Depois da já longínqua passagem por Paredes de Coura, e do tardio concerto no fecho do Sudoeste no ano passado, desta vez a banda de Matt Berninger acertou em cheio. Perante uma sala completamente esgotada e completamente rendida desde o primeiro segundo, os National apresentaram todos os temas de «Boxer», apenas ficou de fora «Guest Room».
Em 18 canções de alinhamento só 7 não eram de «Boxer» e isso ajudou a incendiar uma plateia que fez questão de ver de pé a maior parte do concerto, aplaudindo, e dançando e pulando.

Mesmo nas confortáveis cadeiras em frente ao palco muitos fãs recebiam as músicas de pé e de braços abertos. Uma plateia que Matt Berninger apelidou de algo parecido com as nações unidas devido á sua arquitectura.
O ritmo foi intenso, e as canções eram todas acompanhadas nas letras, deixando a banda confortável para retribuir com momentos instrumentais fantásticos no fim de alguns temas.
Cada canção era uma celebração, cada refrão era cantada a plenos pulmões, cada intervalo era aproveitado ruidosamente para mostrar à banda o quanto são queridos por cá. A qualidade das canções dos National fazem estes pequenos milagres de deixar uma plateia histérica silenciada em poucos segundos para escutar introspectivamente temas mais calmos como "Grenn Gloves», por exemplo.
No oposto temos a imagem do caos instalado quando Matt resolveu pular do palco para as doutorais e cantar no meio dos fãs que não demoraram a rodeá-lo já em pleno encore.
Um daqueles concertos que passado uma hora e 40 do começo ninguém quer acreditar que já terminou. Os próprios elementos da banda fizeram questão de prolongar o momento trocando os privados bastidores por uma presença surpreendente bem no meio dos seus fãs para autografar e conversar bem perto da porta de saída da Aula Magna!

A noite em que os americanos The National se renderam ao carinho dos portugueses que, por sua vez, se renderam ao poder das canções. Provavelmente um dos melhores concertos de 2008.

in disco digital

The National @ Aula Magna : O Alinhamento

Brainy
Secret Meeting
Mistaken For Strangers
Baby We'll Be Fine
Slow Show
Squalor Victoria
Abel
Wasp Nest
Racing Like A Pro
Ada
Apartment Story
Soho Riots
Fake Empire
Start A War

Green Gloves
MR. NOVEMBER!
Gospel
About Today

11 maio 2008

Dia National

Está marcado para hoje o reencontro com os The National. Grandes canções, grandes letras, grandes discos, para conferir logo à noite na Aula Magna. Aqui fica a recordação da passagem deles pelo Sudoeste no verão passado:

Digressão Mundial dos Led Zeppelin

Os Led Zeppelin deverão realizar uma digressão mundial no final do ano que poderá render mais de 20 milhões de euros (13 milhões de euros) para cada um dos elementos, divulgou ontem o jornal britânico "Daily Mirror".
Segundo a edição do jornal, Robert Plant, o único que tinha dúvidas em aceitar fazer os concertos, acabou por ser convencido por Jimmy Page e John Paul Jones.

A bateria vai estar a cargo de Jason Bonham, filho do baterista original do grupo, John Bonham, que morreu em 1980 de overdose alcoólica.

A digressão, que deverá começar no final de 2008 ou princípio de 2009, pode resultar numa facturação de cerca de 500 milhões de dólares (cerca de 320 milhões de euros) devido à elevada procura esperada, segundo as estimativas do "Daily Mirror".

Quando fez um único concerto em Londres, em Dezembro do ano passado, o grupo de rock teve 20 mil pessoas a assistir ao espectáculo, mas a procura mundial de bilhetes ultrapassou os 100 milhões de pedidos.

Lusa

10 maio 2008

O Regresso dos Roots

Com uma grande malha - "Criminal" feat. Saigon & Truck North:

09 maio 2008

Mercado Mundo Mix: Há Música no Castelo



Amanhã no Castelo São Jorge há Mercado Mundo Mix e a não perder há o concerto dos Anonima Nuvolari, e antes temos música de dois grandes DJ's.

Programa

SÁBADO:

- António Pires (das 15h00 às 17h00), Raquel Bulha (das 18h00 às 20h00), Anonima Nuvolari ( 21h00 )

DOMINGO:

- António Pires (das 14h00 às 16h00), Luís Rei (das 17h00 às 19h00), Gnawa Sahara Soul (a começar por volta das 20h00)

Scarlett Johansson - «Falling Down»

Vídeo de avanço para o disco da actriz Scarlett Johansson, Anywhere I Lay My Head, com versões de temas de Tom Waits

08 maio 2008

Deolinda no Cinema São Jorge: Movimento Perpétuo Associativo

Fique sabendo o estimado leitor que se aventurou em vir espreitar esta crónica que acaba de ganhar o dia. Isso mesmo. Se está a ler estas linhas é porque se interessa por música, e se quer saber como correu o espectáculo da Deolinda no São Jorge não só fica a saber que foi um excelente concerto, como vai ficar com vontade de ver e ouvir com os seus próprios sentidos este quarteto tradicionalmente português.

Os discretos adereços de palco denunciam bem o que ali se vai passando. Um misto entre o que é tradicional, e a caricatura do povo. Por isso não faltam naprons brancos por cima das colunas de palco, uma mesa com moldura, flores, e napron, ao que junta as indumentárias dos músicos, em especial da vocalista Ana Bacalhau. E falar da Deolinda é falar de Ana Bacalhau.
É ela que dá voz, corpo, e alma ao projecto. A voz é de um poder surpreendente. Às vezes faz lembrar Teresa Salgueiro, outras vezes soa-nos a voz de fadista batida em casas de velhos bairros lisboetas. Tudo isto numa só jovem que expressa toda a sua irreverência com gestos certos, e expressivos, e que combina a ironia com a liderança firme do evento. Além disto ainda tem o mérito de ter inventado a melhor alcunha para as plateias nacionais; ferrinhos! É isso mesmo, aquela mania das palminhas a acompanhar é mesmo de ferrinhos.

A música da Deolinda não é a última invenção maravilhosa da fusão entre fado e outras escolas, não resulta em nenhuma descoberta cientifica. Mas também não é mais do mesmo a que estamos habituados a ver e ouvir. Há aqui um toque discreto de disfarce que leva a Deolinda a viajar a partir da génese do fado em várias direcções. Sem grande dificuldade vamos indentificando ao longo da noite tiques de Pascal Comelade, ambientes das caraíbas, aproximações ao samba, e raízes da chamada música popular. Há uma espécie de marcha popular, há fados tristes que enganam, há histórias de amor em autocarros, há fados transformados em axé com pronúncia, e há , pelo menos, três pérolas que se não forem descobertas por toda a nação é porque não há justiça. A saber; «Fado Toninho», «Movimento Perpétuo Associativo» que a vocalista diz que ainda vai ser o hino nacional, e «Fon Fon Fon».

A canção «Movimento Perpétuo Associativo» é genial e devia mesmo ser o hino nacional, por um lado aquela velha determinação revolucionária bem tuga de "vamos lá mudar isto tudo de vez", por outro as velhas desculpas do "hoje não dá que está a chover", ou "hoje não que joga o Benfica". Melodiosa, irónica e certeira.
Por outro lado quem resiste a balançar ao som de «Fon Fon Fon» só pode estar surdo.
Tudo nos soa a familiar mesmo que seja a primeira audição, tudo nos parece óbvio, e é esse o grande mérito da Deolinda que agarrou num universo musical que é o nosso, e gira em torno dele impondo a sua marca. Tão eficazmente que nem se percebe como é que ainda ninguém se tinha lembrado disto. Claro que com uma voz como a de Ana Bacalhau as canções ganham uma aura especial. E não vale só ir comprar o disco, ou ouvir as canções do myspace da banda.
O leitor lembre-se que enquanto não vir a Deolinda ao vivo, o seu ano de 2008 , musicalmente, não faz sentido.

Deolinda @ Cinema São Jorge: o Vídeo

07 maio 2008

Hercules and Love Affair no Alive!

Dia 10 de Julho um os responsáveis por um dos bons discos lançados em 2008 vão actuar em Lisboa. Hercules and Love Affair estão confirmados no Festival Alive!.

Deolinda no Cinema São Jorge


Proposta para a noite de hoje. Os Deolinda vão apresentar o seu disco de estreia no cinema São Jorge. A banda de Ana Bacalhau veste muito bem a pele do fado disfarçado de pop bem humorada com letras à altura.
Para conhecer hoje às 21h30 no São Jorge.

06 maio 2008

Asian Dub Foundation - Punkara em Avanço



Os Asian Dub Foundation estão de volta. E a boa notícia pode ser confirmada neste link:
Asian Dub Foundation - Punkara

05 maio 2008

Einstürzende Neubauten: Trabalhos oficinais

A oficina dos Einstürzende Neubauten assentou no palco da Aula Magna para mais uma demonstração da conjugação sonora entre o caos e o silêncio guiada pelo mestre Blixa Bargeld. Alinhamento à volta dos discos mais recentes da banda alemã que continua a corresponder a todas as expectativas dos seus fãs portugueses. Resultado? Mais um excelente concerto dos Neubauten por cá.

Uma visita dos Einstürzende Neubauten a Lisboa, na véspera tinham actuado na esgotada Casa da Música no Porto, é sempre motivo de atracção para as diferentes gerações que acompanham a carreira da banda de Berlim desde 1980. Esta noite a Aula Magna não esgotou mas registou a presença da plateia mais esclarecida e respeitosa de que nos lembramos de ver. O respeitinho é muito bonito e Blixa Bargeld impõe-o com a sua forte presença nos comandos da oficina electromecânica.
Os Neubauten apresentaram as suas composições mais recentes com natural incidência para Alles Wieder Offen.

Já se sabe que um concerto actual da banda já não tem o caos ruidoso de outros tempos, agora há um equilíbrio bem montado entre esboços de canções, murmúrios, guinchos, ou poderosas explosões industriais que caracterizam os Neubauten.
Talvez seja o caminho mais óbvio para a ilustração destas palavras, mas o melhor exemplo a dar é a fabulosa interpretação do surpreendente «Let's do it a Dada» do último disco editado que absorve em si um pouco de todas as componentes ao vivo do grupo.

Em palco só se sente tensão nos momentos mais ruidosos quando a banda entra em ebulição fazendo uso de todos os materiais dispostos em palco. No intervalo da música os Einstürzende Neubauten mostram-se acessíveis, bem humorados, e completamente descontraídos, apenas concentrados na missão de interpretar as suas composições na perfeição, o que nem sempre aconteceu como se percebeu por alturas de «Weil Weil Weil». Blix aproveitou mesmo para ir explicando ao longo da noite os processos de criação da banda suportados financeiramente pelos seus fãs que são compensados com acesso prioritário a discos, e outros bónus. Além de ter anunciado que o concerto estava a ser gravado em dois cds que seriam vendidos logo após a actuação, tal como já tinha acontecido na passagem pelo CCB há poucos anos.

Para o fim ficou um momento teatral em que resolvem pôr em prática um jogo com o objectivo de criar nova música. Um momento de improviso guiado por tarefas individuais tiradas à sorte de um saco preto com o logo da banda. Depois cada elemento tratou de interpretar a sua tarefa resultando numa peça musical de difícil explicação mas muito aplaudida. Ainda se seguiu a explicação individual de cada músico para o que tínhamos acabado de assistir. Com muito humor à mistura, e com sinceros agradecimentos, e elogios, da banda ao público. Desta vez totalmente merecidos, e justificados.

Einstürzende Neubauten - O Concerto da Aula Magna em Dois Discos


Aqui está a gravação do concerto desta noite dos Einstürzende Neubauten na Aula Magna:

Alles Wieder Offen (2008) Tour ( disco 1 )

Alles Wieder Offen (2008) Tour ( disco 2 )

04 maio 2008

Einstürzende Neubauten Hoje na Aula Magna

Os Einstürzende Neubauten estão de regresso a Portugal para um concerto na Aula Magna, que serve de apresentação ao mais recente «Alles Wieder Offen».
Hoje à noite.

03 maio 2008

Blitz Maio

REBEL REBEL A TRIBUTE TO DAVID BOWIE

UNCUT MAGAZINE PRESENTS REBEL REBEL A TRIBUTE TO DAVID BOWIE PROMO CD
12 TRACK CD MAGAZINE NOT INCLUDED

TRACK LISTING

1.SIGUE SIGUE SPUTNIK - REBEL REBEL
2.THE SEA & CAKE - SOUND & VISION
3.THE LAST TOWN CHORUS - MODERN LOVE
4.KING CRIMSON - HEROES
5.JOHN HOWARD - THE BEWLAY BROTHERS
6.ED KUEPPER - THE MAN WHO SOLD THE WORLD
7.BRETT SMILEY - KOOKS
8.LA GUNS - MOONAGE DAYDREAM
9.EATER - QUEEN BITCH
10.MOTT THE HOOPLE - ALL THE YOUNG DUDES
11.NICO - HEROES
12.MERCURY REV - MEMORY OF A FREE FESTIVAL

(Note: There was a last minute production 'hiccup' resulting in the transposition of the tracks by Last Town Chorus and King Crimson, their appearance on the CD now not matching the tracklisting on the sleeve).

link: REBEL REBEL A TRIBUTE TO DAVID BOWIE

02 maio 2008

01 maio 2008

DOIS ANOS DE GRANDES SONS



Há dois anos inaugurava eu este modesto espaço falando de um disco. A coisa pegou, o tempo foi passando, e já lá vão dois anos de vida!
Hoje o Grandes Sons está de parabéns. Mais de 1300 posts depois é altura de agradecer a todos que passam por aqui regularmente para lerem sobre discos, concertos, saber da agenda, ouvir músicas sugeridas, e outras coisas a ver com sons.
Muito obrigado e podem contar com a continuação deste blogue.