30 agosto 2009

Atrás da Caixa dos Beatles

Já falta pouco para o dia de lançamento da reedição da obra discográfica dos Beatles.
A ponderar comprar a caixa com 16 cds em stereo e 1 dvd já deixei de parte a hipótese de comprar em Portugal em alguma loja. Os preços já divulgados são , como sempre, um roubo. Basta ir a lojas online para ver que há preços muito mais justos.

Até agora estou inclinado para apostar na BangCD.com que vende a caixa a 201€ e com os portes de envio grátis.
Na Play.com está a 220,99€.

Se algum leitor descobrir um preço melhor faça favor de avisar nos comentários.

29 agosto 2009

Viva La Colifata Com Manu Chao



É esta a introdução na página Viva La Colifata onde se pode fazer download canções gravadas por Manu Chao e la Cofilatos:

Bienvenido a Viva La Colifata, página en beneficio de este organismo asociativo.
Podrán escuchar y descargar gratuitamente las canciones grabadas por los Colifatos y Manu Chao, haciendo clic en la ‘Radio’ arriba de pagina.
Esta página ha sido creada para apoyar La Colifata y los Colifatos, y darles mayor posibilidad de continuar existiendo.
Haz una donación haciendo clic sobre el boton ‘Donacion’ en el alto de página a la derecha. Gracias!


site La Colifata!

28 agosto 2009

Public Enemy em Lisboa

Alguém sabe pormenores sobre o possível concerto dos Public Enemy em Dezembro?

27 agosto 2009

Seun Kuti no CCB

Filho do lendário afro-beat Fela Kuti, o nigeriano Seun Kuti herdou do seu pai a música de fusão, entre o jazz, o funk e os ritmos africanos. Dirige a banda Egypt 80 e a suas canções revelam a sua preocupação pelas graves questões políticas e sociais que afectam a África, mas nem por isso perdem a energia e a alegria que caracterizam o afro-beat.

Fundação Ccb

SÁBADO, DIA 29, 21H, GRANDE AUDITÓRIO
PREÇO: 5€

Recuperação: Finley Quaye - Maverick A Strike



Disco de 1997 que muito ouvi nessa altura e que teve uma crítica muito curiosa na Rolling Stone. Recupero hoje a estreia de Finley Quaye com o disco Maverick A Strike que ainda hoje soa muito bem. Aliás, agora que as rádios já se esqueceram dos singles deste álbum sabe muito bem recuperá-lo. Na memória guardo um concerto de Finley na Aula Magna que muito me agradou há uns anos.
Recupero o disco, que partilho com os leitores e a bela prosa da Rolling Stone:
On his debut, "Maverick a Strike," 23-year-old Scottish-Ghanaian singer Finley Quaye – who sounds like Horace Andy after listening to too many Al Green records – succeeds in cooking up soul-soaked, remix-ready roots reggae music for after-hours '90s dance floors. Laden in Studio One bass lines, Stax-era horns and organs, and African drums and thumb piano, Maverick delicately reshapes time-tested reggae styles, from dub to lover's rock and dance hall, with subtly applied trip-hop trimmings and Lee Perry-worthy lyrical outbursts ("My bass man is a ghost/And my ghost is a news carrier"). It's only when his arrangements fall short (the bland beats of "Supreme I Preme," the stock guitar work of "Sunday Shining") that Quaye becomes trapped by the past; for most of Maverick, he's liberated by it. (RS 778)



26 agosto 2009

Biffy Clyro no Alquimista

Numa altura em que se preparam para editar o quinto álbum de originais, “Only Revolutions”, os escoceses Biffy Clyro aterram dia 12 de Dezembro no Santiago Alquimista para uma noite única de violentas descargas rock!
Bilhetes a 20€ à venda a partir de amanhã.

O Regresso dos Anti-Pop Consortium

Depois de sete anos de silêncio os Anti-Pop Consortium regressam com seu hip hop com o álbum Fluorescent Black.
O primeiro tema do disco pode ser ouvido no site da Spin que também apresenta uma entrevista ao grupo:

LISTEN: Anti-Pop, "Born Electric" (DOWNLOAD MP3)

O Natal de Bob Dylan


A Columbia Records anuncia para 13 de Outubro a edição do disco de Natal de Bob Dylan.
Christmas In The Heart será o 47ª álbum de Bob Dylan, e sucede ao excelente Together Through Life, editado no inicio deste ano. "Here Comes Santa Claus," "Winter Wonderland," "Little Drummer Boy" e"Must Be Santa." são algumas das canções que nos vão acompanhar este Natal.

25 agosto 2009

Kid A Reeditado


Brilhante introdução a um dos melhores discos de sempre.
A propósito da reedição de Kid A a Pitchfork dá nota máxima ao álbum e a crítica começa assim:

We used to listen to music in an entirely different way. There was once a time when music was organized into 45- to 75-minute chunks-- often a few standout tracks padded with a lot of mediocre filler, but occasionally designed so that the parts built up a larger structure. Used to be, people would sit down and listen to that lengthy piece of music from front to back in one sitting, resisting the urge to jump to their favorite parts or skip over the instrumental interlude that served as grout between two fuller compositions. These antiques were called CDs. Here's a story about the last of its kind.


Para ler aqui

Radiohead
Kid A: Special Collectors Edition

24 agosto 2009

Arctic Monkeys actuam em Fevereiro em Portugal

Os britânicos Arctic Monkeys vão actuar em Fevereiro de 2010 em Portugal, em dois concertos em Lisboa e no Porto de apresentação do novo álbum, "Humbug", anuncia a página do grupo no Myspace. De acordo com a banda, a 2 de Fevereiro está marcado concerto no Coliseu do Porto e no dia seguinte no Campo Pequeno em Lisboa.

Os dois concertos fazem parte de uma digressão europeia para mostrar ao vivo o terceiro álbum de originais, "Humbug", que chega hoje às lojas.

Esta será a terceira vez que o grupo rock estará em Portugal depois de ter vindo apresentar os dois registos anteriores, em 2006 e 2007, sempre em Lisboa e em salas bem mais pequenas do que o regresso anunciado.

Os Arctic Monkeys surgiram em 2002 mas fizeram sensação alguns anos depois quando o primeiro álbum, "Whatever people say I am, that´s what i´m not", lançado em 2006, foi considerado o mais vendido logo na estreia, superando "Definitely Maybe" dos Oasis. Formados por Alex Turner, Jamie Cook, Nick O'Malley e Matt Helders, os Arctic Monkeys são um dos casos da música britânica com êxito inicial no Myspace e só depois um contrato com uma editora, lançando a discussão sobre as regras da edição discográfica internacional.

A banda começou por vender CD com gravações caseiras e registos de concertos e distribuiu pelos amigos, até que as canções, como o êxito "I bet you look good on the dancefloor", chegaram à Internet e a uma página do Myspace criada pelos fãs e que os próprios músicos desconheciam.

A partir daí chegaram aos tops britânicos e o primeiro álbum rendeu-lhes em 2006 dois importantes prémios do Reino Unido: o Mercury Prize e o Brit Award. "Humbug" é o terceiro registo do grupo, na senda do pós-punk e rock alternativo, e inclui temas como "Crying Lightning", Dangerous Animals" e "Pretty Visitors".

actualização:
BILHETES À VENDA AMANHÃ, 25 DE AGOSTO

COLISEU DO PORTO (2 DE FEVEREIRO)
PLATEIA EM PÉ * 30,00 EUROS
TRIBUNA * 35,00 EUROS
GALERIA * 24,00 EUROS

CAMPO PEQUENO (3 DE FEVEREIRO)
PLATEIA EM PÉ * 30,00 EUROS
BANCADA * 35,00 EUROS
CAMAROTE 1ª * 35,00 EUROS
CAMAROTE 2ª * 24,00 EUROS
GALERIA 1 * 26,00 EUROS
GALERIA 2 * 24,00 EUROS

22 agosto 2009

Yo La Tengo

O novo álbum dos Yo La Tengo "Popular Songs" ainda não foi oficialmente lançado (8 de Setembro via Matador Records) e já conta com 4 videos promocionais. O mais recente é o do tema "Nothing To Hide".

Jaz Z + Kannye West + Rihanna

Jay-Z feat. Rihanna & Kanye West - Run This Town from Klem on Vimeo.

21 agosto 2009

Mão Morta em Corroios Logo à Noite

As Festas Populares de Corroios hoje apresentam às 22 horas:
Mão Morta, Pontos Negros e Fato Feto.
Entrada gratuita

Actualização: o concerto de Pontos Negros foi cancelado.

Amanhã no CCB - Etran Finatawa


(os Etran Finatawa na edição 2007 do FMM Sines)


PRAÇA MUSEU

ENTRADA LIVRE

Oriundo do Níger, um dos países mais pobres do mundo, o grupo Etran Finatawa é uma formação de tuaregues e wodaabe, dois povos nómadas com culturas e sonoridades muito diferentes que coabitam nesta região africana. A música dos Etran Finatawa (literalmente “as estrelas da tradição”) combina a riqueza de duas linguagens: tradicionalmente, os wodaabe não utilizam instrumentos e centram-se na voz e ritmos que convidam à dança; por sua vez, os tuaregues sempre recorreram a violinos e tambores para animar as suas músicas e danças.
Amanhã à noite a não perder depois das 22h.

Recorde aqui a passagem dos Etran Finatawa pelo FMM Sines, em Porto Covo) em 23 de Julho de 2007.

20 agosto 2009

The Rolling Stones - Cocksucker Blues (1976, documentário, p&b/cor, 95 min.)


Direcção: Robert Frank e Daniel Seymour
Produção: Marshall Chess

Elenco e Participações: the Rolling Stones, Nicky Hopkins, Bobby Keys, Jim Price, Ian Stewart, Marshall Chess, Stevie Wonder, Dick Cavett, Muddy Waters, Andy Warhol, Truman Capote, Terry Southern, Tina Turner, Bianca Jagger

Anárquico documentário da excursão americana de 1972. O filme teve uma aparição relâmpago em algumas poucas cidades, dado a seu nome e conteúdo. Poucas cenas dos shows, alguns ensaios e o resto é bastidor. Seja nos hotéis ou durante as viagens, as câmeras não param de filmar. O filme oferece cenas antológicas, como quando Keith, Bobby e Marshall resolvem jogar a televisão pela janela antes de deixarem o hotel. Ao sair, a gerência aparece no lobby fazendo questão de apertar a mão das celebridades, sem demonstrar saber sobre a TV. Há momentos mais arrastados, como quando a caminho para a cidade vizinha, encosta em um bar de beira de estrada e encontram Muddy Waters jogando sinuca. Assistimos então a tropa bebendo cerveja e jogando sinuca com Muddy Waters.

A cena mais comentada do filme possivelmente seja quando o cameraman registra Bobby Keys no avião, encenando praticar sexo oral com uma groupie para, em seguida, amigavelmente estuprar outra groupie presente. A camera chega ao requinte de focalizar em algumas reminiscências do ato que ficaram pingados sob as costas da parceira. Tudo isso enquanto Keith, Mick, Marshall e outros estão rindo, bebendo e levando uma batucada de inglês. O filme é bem chato, mas muito das historias sobre a vida "on the road" você vê acontecendo aqui.

O filme abre com a canção ainda inédita, "Cocksucker Blues". Porque uma música chamada "Cocksucker Blues"? A banda em 1970 já estava com tudo acertado para assinar com Atlantic Records quando é cobrado pela Decca Records, a gravar mais uma música inédita, por exigência contratual. Mick Jagger prontamente pegou seu violão, compôs e gravou "Cocksucker Blues", música tão cheia de palavrões e insinuações sexuais que deve permanecer nos cofres da Decca por mais alguns milênios.


whiplash.net

Aproveitem para ver aqui o famoso documentário:

10 Canções, 10 Verões

Gostei da sugestão do Público que partilho aqui:

O P2 junta som ao som infatigável e sugere dez Verões em forma de canção.

Verão não é a silly season

Fine for now
Grizzly Bear

Porque no Verão não nos limitamos a viver um hedonismo desenfreado, porque no Verão não existe apenas a apoteose habitual da pré-época do Benfica, mas também a depressão desta pré-época do Sporting, guarde-se espaço para algo mais essencial. Veckatimest, dos Grizzly Bear, é um dos discos do ano. Beatífico, luminoso, todo ele são vozes atiradas aos céus e magnífica introspecção. Durante os cinco minutos de Fine for now, aproveitemos para nos fecharmos ao mundo lá fora. Ali não entra a silly season.

Verão é o que um homem quiser

Muda que muda
João Coração

Ouvimos há dias alguém dizer que a verdadeira passagem de ano acontece em Setembro, quando as pessoas voltam de férias. Se assim é, não haverá melhor que Muda que muda, canção título do novo álbum de João Coração, para os habituais votos de ano novo, agora transpostos para pleno Agosto. Um trovador a atirar-se de cabeça ao baile popular, um homem que canta "vou a caminho do nada" sobre uma citação dos Talking Heads. "Se é para mentir, é para mentir"; "se é para mudar, é para mudar". João Coração já está em 2010.


Verão 2009, Verão Michael Jackson (I)

Don't stop til you get enough
Michael Jackson

Bem sabemos que recomendar esta canção, precisamente esta canção, precisamente este ano, é uma redundância. Morreu o Rei da Pop e o mundo esqueceu-se dos escândalos do branquelas alienígena que lhe tomara o lugar na consciência popular. Lembrámo-nos das canções, canções imensas como esta Don't stop til you get enough. O baixo a marcar o ritmo, aquele "Ooooohhh!" a ordenar ao ritmo que avance e a secção de cordas a espalhar magia. Nesse preciso momento, Michael é o maior de sempre e, se não fosse de mau gosto, diríamos que estamos no céu.

Verão 2009, Verão Michael Jackson (II)

I want you back
Discovery

Eles, os Discovery, que são formados por um membro dos Vampire Weekend e um dos Ra Ra Riot, não podiam adivinhar o que aí viria quando gravaram esta versão da melhor canção dos Jackson 5. Sintetizadores manhosos, a voz robótica, distorcida com auto tune, e o bom Michael criança transformado em personagem futurista. É a música ideal para as um pouco mais frescas 4 da manhã de um dia de 40 graus à sombra. Michael aprovaria certamente.



Verão para quem está farto dos anos 1980

True romance
Golden Silvers

Tal como 80 por cento da população adulta esclarecida, já está farto do revivalismo dos anos 1980? Pois aqui tem o antídoto perfeito. True romance, dos ingleses Golden Silvers, soa a uns anos 1980 que correram bem, ou uns anos 1980 que já não nos lembramos que existiram. É ouvir o baixo a gingar com o cowbell, o homem do canto-falado e do teclado funky. É dançar, boa gente, que estamos no Verão de 2009.



Verão para quem não está farto dos anos 1980

Human
Killers

Human, dos Killers, é o oposto de Fine for now dos Grizzly Bear, ou seja, a canção ideal para a silly season: imagina algo mais apropriado que, numa discoteca apinhada, berrar juntamente com centenas de pessoas algo tão indecifrável quanto "are we human, or are we dancer"? Os Killers sim, são os anos 1980 tal como nos lembrávamos. E Human será o Like a virgin de 2015 ou o Dragostea din tei de 2018 (mas em inglês). O melhor é ir treinando.



Verão são dias sem tempo

Ayrton Senna
Norberto Lobo

Há aqui algo daquela magia indefinível dos longos Verões da infância, quando o dia tinha, no mínimo, 48 horas e tudo parecia possível. Há aqui aquele dedilhado absurdamente tocante de Norberto Lobo, Midas das seis cordas, a convocar a imagem de um céu de uma imensa melancolia. O segredo está em que a ouvimos, com Norberto e numa canção intitulada Ayrton Senna, como algo que não angustia. É, digamos, melancolia pelo futuro. E, nestes três minutos de música, o dia volta a ter 48 horas.



Não te deixaremos morrer este Verão, Bruce Lee

Dragão
Cacique 97

Os lisboetas Cacique 97 levam pontos extra só pela intro de Dragão - um sample de Bruce Lee, retirado de A Fúria do Dragão, não é simplesmente cool, é sinal de óbvio bom gosto. Mas depois há o resto, este ritmo afro-beat contagiante com órgão Rhodes, metais a levitar, secção rítmica num frenesim e coros a potenciar o poder hipnótico da música. Esqueçam Steven Seagal, Jackie Chan e Van Damme. Alerta vermelho: escaldante. Vivam os Cacique 97.



Um clássico esquecido ("chaud, comme il faut")

Couleur Cafe
Serge Gainsbourg

Mestre Gainsbourg, o cultor insurrecto da chanson que haveria por se deixar seduzir, citamo-lo, pelos ventos que sopravam de Liverpool, era um romântico incurável (esqueçamos aquele episódio com Whitney Houston). Couleur Cafe não engana. Galanteio gracioso em balanço tropical gentil e ela a dançar, ele a elogiar-lhe a dança, as percussões e a guitarra a criarem com precisão um quadro de inocência veraneante - apesar do calor, apesar dos corpos. Como é saboroso recuperar um clássico esquecido.


No Verão, suor e dança

El borrachito
Chicha Libre

Uma vénia às boas coisas da globalização: uma banda do século XXI, de Nova Iorque, que pega em música peruana dos anos 1970 e a transforma num meltingpot irresistível. Salsa e cumbia e surf-rock, espanhol e francês, Ennio Morricone e um órgão Farfisa na selva amazónica. Os Chicha Libre não são as férias previsíveis num resort em Varadero. Os Chicha Libre misturam-se com o povo e misturam a música toda. Suemos irmãos, suemos.



19 agosto 2009

Terrakota no CCB Fora de Si


Fica o recado dos Terrakota que acutam no CCB de borla no domingo à noite:
Atenção é daqueles concertos que começa á hora certa. Portanto vai mesmo arrancar ás 22 h.
Dentro do contexto da iniciativa, os Terrakota irão tambem levar a cabo 2 oficinas : a primeira de SABAR , no sábado 22 ás 16 h e a segunda de PERCUSSÃO no Domingo ás 17 h .
Apareçam !!! precisamos da vossa força.

Promotoras de festivais vivem dias difíceis

Notícia do Diário Económico por Luís Reis Pires:

Prejuízos anuais elevados complicam situação financeira de empresas como a Everything Is New e Música no Coração.

Apesar da alegria reinante nos festivais de Verão, as empresas responsáveis pela sua organização não têm razões para sorrir. As duas maiores promotoras nacionais - a Everything is New e a Música no Coração -, aliadas a uma outra mais pequena - a In Music We Trust -, apresentaram em 2007 prejuízos de quase 1,3 milhões de euros. De resto, as dificuldades no sector não são exclusivas das grandes promotoras, alastrando também às de menor dimensão. De entre um conjunto de cinco das mais conhecidas promotoras de espectáculos, aliás, apenas duas apresentaram lucros em 2007: a Ritmos & Blues e a Smog. Em 2008, as dificuldades agravaram-se, com a Everything Is New, líder do sector, a acabar o ano com prejuízos de 518,6 mil euros e a Smog - uma promotora de muito menor dimensão - de 3,5 mil euros.

Os Concertos Que Aí Vêm

Moby
Parque da Cidade, no Porto, 12 de Setembro
Bilhetes a 15 euros (venda antecipada) e 20 euros (dia do espectáculo)

The Rakes e Ebony Bones
Clubbing Optimus da Casa da Música, no Porto, 18 de Setembro.

The Cult
Coliseu de Lisboa, 25 de Setembro. Bilhetes a 25 euros.

Xutos & Pontapés
Estádio do Restelo, Lisboa, 26 de Setembro. Tara Perdida e Os Pontos Negros na primeira parte.

Green Day
Pavilhão Atlântico, Lisboa, a 28 de Setembro. Bilhetes entre 32 e 42 euros.

Amália Hoje
Figueira da Foz, 1 de Outubro
Coliseu de Lisboa, 5 de Outubro
Coliseu do Porto, 9 de Outubro
Vila do Conde, 10 de Outubro

Au Revoir Simone
Casa da Música, Porto, 3 de Outubro ( segundo o myspace da banda )
Aula Magna, Lisboa, 5 de Outubro. Bilhetes entre 23 euros e 30 euros.

Peter Murphy
Theatro Circo de Braga, 29 de Outubro
Teatro Sá da Bandeira, Porto, 30 de Outubro
Teatro Académico de Gil Vicente, Coimbra, 31 de Outubro
Centro Cultural de Belém, Lisboa, 1 de Novembro

Diana Krall
Campo Pequeno, Lisboa, 10 de Outubro
Pavilhão Rosa Mota, Porto, 11 de Outubro
Bilhetes entre 20 euros e 70 euros (Lisboa) e entre 25 euros e 60 euros (Porto).

Joan As Police Woman
Lux, Lisboa, 15 de Outubro
Centro Cultural de Redondo, 16 de Outubro
Casa da Música, Porto, 17 de Outubro

Dream Theater e Opeth
Digressão Progressive Nation, Pavilhão Rosa Mota, Porto, 22 de Outubro
Cartaz: Dream Theater, Opeth, Bigelf e Unexpect
Bilhetes: 30 euros

José Mário Branco, Sérgio Godinho e Fausto
Espectáculo Três Cantos
Campo Pequeno, Lisboa, 22 de Outubro
Coliseu do Porto, 31 de Outubro

Skunk Anansie
Coliseu de Lisboa, 3 de Novembro
Coliseu do Porto, 4 de Novembro

Rammstein
Pavilhão Atlântico, Lisboa, 8 de Novembro
Bilhetes entre 33 euros e 42 euros

Depeche Mode
Pavilhão Atlântico, Lisboa, 14 de Novembro
Bilhetes entre 30 euros e 40 euros

Porcupine Tree
Incrível Almadense, Almada, 20 de Novembro
Teatro Sá da Bandeira, 21 de Novembro

Massive Attack
Campo Pequeno, Lisboa, 21 e 22 de Novembro
Bilhetes entre 24 euros e 35 euros

Muse
Pavilhão Atlântico, Lisboa, 29 de Novembro
Bilhetes entre 30 euros e 40 euros

Marilyn Manson
Campo Pequeno, Lisboa, 1 de Dezembro
Bilhetes entre 22 euros e 35 euros

Franz Ferdinand
Campo Pequeno, Lisboa, 2 de Dezembro

My Brightest Diamond
Teatro São Luiz, Lisboa, 2 de Dezembro

Nouvelle Vague
Aula Magna, Lisboa, 3 de Dezembro
Teatro Sá da Bandeira, Porto, 5 de Dezembro

Editors
Campo Pequeno, Lisboa, 10 de Dezembro

Biffy Clyro
Santiago Alquimista, Lisboa, 12 de Dezembro

The Dodos
Santiago Alquimista, Lisboa, 15 de Dezembro

fonte: Blitz

18 agosto 2009

30 Anos: Xutos prometem «concerto memorável» no Restelo

O guitarrista Zé Pedro, dos Xutos e Pontapés, prometeu que o concerto do Estádio do Restelo para comemorar os 30 anos de carreira será «memorável», com uma produção nunca vista em Portugal por uma banda portuguesa.

Depois das comemorações dos 25 anos de carreira no Pavilhão Atlântico, a meta era «fazer um estádio a seguir» e «nós quisemos sempre fazer um espectáculo ambicioso, semelhante às bandas de top mundial», afirmou Zé Pedro, durante uma pausa no Algarve da tournée de promoção do novo disco.

Para o próximo dia 26 de Setembro, Zé Pedro promete uma «produção grandiosa», num palco que vem da Bélgica e pertence a uma companhia que trabalha com bandas como os U2 ou os Rolling Stones, além do reforço de toda a estrutura de suporte do espectáculo.

17 agosto 2009

Nirvana Reeditados

Bleach”, o álbum de estreia dos Nirvana, vai ser reeditado pela Sub Pop no próximo Outono e será acompanhado pela gravação inédita do concerto no Portland’S Pine Street Theatre, realizado cerca de um ano após a edição de “Bleach”, a 9 de Novembro de 1990.
Um livro com fotografias do grupo nunca antes publicadas completa a edição comemorativa da obra, que se apresentará, também, em vinil branco.

Entretanto as reedições de luxo dos outros álbuns já se encontram a ser preparadas, "Nevermind" (1991), "In Utero" (1993) e "MTV Unplugged in New York" (1994) serão lançados pela Original Recording Group (ORG), que chegou a acordo com a Universal Music, detentora dos direitos de reprodução do grupo.

"Que eu saiba, esta será a primeira vez que o álbum "Unplugged" sairá em vinil", disse Monti Olson, fundador da ORG, à Billboard, acrescentando ainda que "Nevermind" deverá ser o primeiro a chegar ao mercado.

Radiohead Sem EP Mas Com Música Nova

É assim que os Radiohead anunciam a partilha de uma nova canção:
So here's a new song, called 'These Are My Twisted Words'.

We've been recording for a while, and this was one of the first we finished.
We're pretty proud of it.

There's other stuff in various states of completion, but this is one we've been practicing, and which we'll probably play at this summer's concerts. Hope you like it.

Download the audio here or torrent here.
Jonny

Kind of Blue de Miles Davis Completa Meio Século



Lançado há 50 anos,precisamente a 17 de Agosto de 1959, “Kind of Blue”,para além de Miles Davis, conta com a participação de alguns dos maiores génios do Jazz: John Coltrane (saxofone tenor), Cannonball Adderley (saxofone alto), Bill Evans (piano), Paul Chambers (contrabaixo), Jimmy Cobb (bateria) e, apenas na faixa nº2, Wynton Kelly (piano).

No dia 2 de Março de 1959, sete músicos entraram em uma velha igreja em Nova York transformada em estúdio sem saber exatamente o que fariam ali. O líder, Miles Davis, tinha algumas idéias, alguns temas, alguns acordes e pouco mais. As instruções que deu aos outros músicos -entre eles Bill Evans, John Coltrane e Cannonball Adderley- não iam muito além de "sole dois chorus", segundos antes deles começarem a tocar.Com excepção de uma faixa, tocada duas vezes, tudo foi registado no primeiro take, de maneira espontânea. transformada em estúdio sem saber exactamente o que fariam ali. O líder, Miles Davis, tinha algumas ideias, alguns temas, alguns acordes e pouco mais.
Excerto da introdução à entrevista a Ashley Kahn, autor do livro “Kind of Blue: The Making of a Miles Davis Masterpiece, à revista Folha de S.Paulo em Março de 2007.

16 agosto 2009

The Legendary Tiger man Agora a Sério

Depois da passagem em falso pelo Sudoeste fica aqui a nova música de The Legendary Tiger man, "Life Aint Enough For You" que já tem vídeo oficial:

15 agosto 2009

Ouvir a Nova Canção dos Flaming Lips

Hear the New Flaming Lips Song "See the Leaves"

Shared via AddThis

Woodstock Aconteceu há 40 anos



sugestão:
Woodstock UCE: 40th Anniversary (2 Discs) (Blu-ray) | Blu-ray
EUR 18.49 Free Delivery
na play.com

Tora Tora Big Band no CCB Fora de Si

Projecto que junta uma dúzia de músicos, de seis nacionalidades diferentes. Em comum, têm a vontade de abrir o jazz a contaminações alheias: sons afro, latinos, música de dança, funk, etc. A banda apresenta o novo "Tora Tora Cult".
Hoje às 22h10. Entrada livre.

14 agosto 2009

Morreu Les Paul, o pai da guitarra eléctrica

Por Mário Lopes, Público

A mítica Gibson, ícone rock'n'roll utilizado por guitarristas como Jimmy Page, Pete Townshend ou Slash, é a face mais visível do legado do mítico Les Paul, que morreu ontem em White Plains, Nova Iorque, aos 94 anos, vítima de uma pneumonia.

Até recentemente, e apesar de nonagenário, era possível vê-lo em palco semanalmente no clube nova-iorquino Iridium, interpretando os standards country e jazz que tanto admirava e as canções que fizeram dele uma estrela nos anos 50. Nessa altura, com Mary Ford, então sua mulher, tornou-se omnipresente na rádio e televisão americanas.

Apesar da artrite que já lhe dificultava os movimentos, parecia encontrar sempre forma de exibir o estilo límpido e virtuoso que o tornou num dos guitarristas mais reconhecidos do seu tempo.

Nasceu Lester William Polfuss em Waukesha, Wisconsin, a 9 de Junho de 1915, e foi pioneiro da guitarra eléctrica de corpo sólido, imprescindível para o nascimento do rock'n'roll, e das técnicas de gravação multipistas que se tornaram a norma desde a década de 1960.

Nos anos 1930 e 1940, influenciado por Django Reinhardt, tocou com Bing Crosby, Frank Sinatra ou Louis Armstrong.

Foi durante este período que o seu espírito inventivo se revelou de forma decisiva. Em 1941, apresentou-se pela primeira vez em palco com o instrumento a que chamou The Log: um pedaço de madeira, ligado a um braço de guitarra, onde instalou dois pickups, o que possibilitava prolongar electricamente as notas tocadas na guitarra.

Apesar de inicialmente recebida com escárnio pelo público e colegas músicos, foi a partir dela que, no início dos anos 1950, a Gibson criou o famoso modelo imortalizado com o seu nome.

Nessa altura, com canções como Vaya con Dyos ou How high the moon, Les Paul e Mary Ford eram presença regular nos tops americanos e a guitarra eléctrica moderna, tal como ele previra uma década antes, tornou-se o som do futuro.

Contudo, não era apenas famoso pelas canções que compunha ou pelo talento como guitarrista. Era-o também pelas inovadoras técnicas de gravação por pistas que desenvolvera, permitindo-lhe sobrepor vários canais sonoros e manipulá-los de forma a alterar-lhes o som: inovações como acelerar uma pista de guitarra até o som desta se transformar num frenético zumbido, criar um som imenso com 12 pistas de guitarra ou complexas harmonias vocais a partir de uma fonte apenas (no seu caso, a de Mary Ford).

Com a chegada do rock'n'roll, que ajudara a fazer explodir e que adoptaria muitas das suas técnicas, a estrela de Les Paul começa a esbater-se. Separa-se de Mary Ford em 1964 e entra numa semi-reforma.

Nos últimos anos, regressou à sua identidade primeira, músico de palco - forma de nos lembrar que era, antes de tudo o mais, um músico extraordinário.

Em 1948, esmagou o braço e o ombro direitos num grave acidente rodoviário. Informado pelos médicos de que não voltaria a recuperar o movimento do ombro e que este se fixaria na posição em que fosse reconstruído, foi preciso nas instruções dadas ao cirurgião que o operou: "Coloque-o de forma a que consiga tocar".

13 agosto 2009

Arctic Monkeys - Humbug : Grande Candidato a Disco do Ano!


Este ano ainda não me tinha passado um disco rock tão bom como este Humbug.
Ao terceiro disco os ingleses, de Sheffield, acertam em cheio com um disco cheio de boas influências que podem ir dos Black Sabbath, aos Cream e até Hendrix.
Não se pode dizer que tenha sido obra do acaso, os Arctic Monkeys souberam viver com o sucessos dos primeiros dois discos, e crescer em direcção a algo maior. Conseguiram convencer Josh Homme, o homem dos Queens of the Stone Age que na última década não aceitou tal desafio de outra banda, e foram para o famoso estúdio americano no meio do deserto de Homme.
Alex Turner e a sua banda reuniram forças e a dezena de músicas que dão vida a Humbug entram no ouvido ameaçando não sair da nossa cabeça tão cedo. Boas letras, boas vozes, excelentes canções. O single de apresentação já é conhecido, Crying Lightning :


Dificilmente Humbug escapará aos lugares cimeiros de listas de melhores discos de 2009. Excelente!
Podem chegar ao disco via New Album Releases.

Mojo Setembro - CD Africa Rising Disponibilizado Aqui



Mojo

FREE CD! AFRICA RISING: 13 mind blowing summer grooves from the likes of Tinariwen, Ali Farka Touré, Tony Allen, Toumani Diabete, Oumou Sangare, Konono No. 1 and more:
CD AFRICA RISING

Q Setembro



Q

Uncut Setembro



uncut

Arranca em Sagres o Surf Fest



Toda a informação no site oficial.

Tributo a Michael Jackson agendado para 26 de Setembro

O concerto que tem sido classificado pelos organizadores como um "tributo global" a Michael Jackson vai decorrer a 26 de Setembro, em Viena. A cidade foi escolhida porque Jackson "adorava castelos", explicou o irmão Jermain Jackson, citado pela agência Associated Press.

O evento deverá durar cerca de três horas, durante as quais vários artistas subirão a um palco em forma de coroa para interpretar cerca de duas dezenas de canções do rei da pop.

A organização, que espera uma assistência de 85 mil pessoas, já avançou que parte das receitas será doada a instituições de caridade.

Os pormenores do espectáculo ainda não são conhecidos e deverão ser divulgados nas próximas duas semanas

12 agosto 2009

Creamfields no Algarve



Com a organização, pela primeira vez, a cargo da Everything is New, o Creamfields acontece no Hipódromo de Vilamoura (Loulé) e conta com alguns dos mais importantes nomes da Música Electrónica da actualidade.
No palco principal, Cream Stage, vão actuar os Underworld, que rebentaram para a fama mundial com o tema "Born Slippy", incluído na banda sonora de "Trainspotting", e os Junior Boys, um dos nomes de proa da nova música electrónica, que contam já com dois álbuns de sucesso.
A Turbo Arena será da responsabilidade de Tiga e seus acólitos: Proxy, Riton, Zombie Nation, Jori Hulkkonen, Jesper Dahlbäck, Seth Troxler, Thomas Von Party e Mike Mind.

11 agosto 2009

Au Revoir Simone 5 de Outubro na Aula Magna

Nunca três meninas conquistaram o apreço, consideração e admiração do público português tão depressa como Erika, Annie e Heather, as Au Revoir Simone, que actuam dia 5 de Outubro na Aula Magna em apresentação do terceiro disco de originais, "Still Night, Still Light".

Com uma conjugação única de electrónica, indie e pop, complementada com vozes angelicais, as Au Revoir Simone granjearam desde o início o reconhecimento do público e da crítica, onde se incluem alguns ilustres como David Lynch.

ANFITEATRO * 23,00 EUROS
DOUTORAL * 30,00 EUROS

Novo Disco de Mark Knopfler

Mark Knopfler está de regresso com disco pronto a ser editado dentro de um mês. Chama-se Get Lucky e tem data de saída marcada para 14 de Setembro.
No site oficial de Knopfler já se pode escutar o primeiro avanço que é o single com o mesmo nome do disco. A audição não deixa dúvidas, o caminho do álbum anterior, Kill To Get Crimson, continua a ser o favorito de Mark. E isso é muito bom.

Oiçam aqui o single do novo disco:


E para os mais impacientes, como eu, deixo em jeito de bónus uma ligação para o newalbumreleases.net que já disponibiliza o disco. Get Lucky.

It Might Get Loud - Documentário com Jimmy Page, The Edge e Jack White

Documentário com Jimmy Page, The Edge e Jack White chega aos cinemas dos EUA em Agosto.

Dirigido por Davis Guggenheim (The Shield, 24 Horas), o filme mostra a trajectória dos três guitarristas, de fases diferentes do rock 'n' roll, e como criaram o próprio estilo no instrumento.

Page (Led Zeppelin), The Edge (U2) e White (The White Stripes, Raconteurs e Dead Weather) chegam inclusive a tocar juntos, em pequenas jam sessions, e trocam ideias sobre a profissão.

A estreia oficial de It Might Get Loud aconteceu no Festival de Cinema de Toronto, no Canadá, em setembro de 2008.

O trailer do documentário It Might Get Loud, com Jimmy Page, Jack White e The Edge, foi divulgado pela Sony Pictures no site oficial da produção:

NEOPOP - Electrónica em Viana do Castelo


Nos últimos anos, o mundo da música electrónica portuguesa e galega tem-se juntado em Viana do Castelo no mês de Agosto. Neste ano de 2009 tal não vai ser excepção.

Sob o mote “Spread it With Caution”, vai ter lugar, entre os dias 13 e 15 de Agosto, No Forte de S. Tiago da Barra, em Viana do Castelo, o festival de música electrónica Neo Pop. Este é o herdeiro do festival Anti Pop, mas com um novo nome e uma direcção artística mais arrojada.

O Neo Pop é uma mostra de cultura electrónica periférica às linguagens mainstream. É um evento com ênfase no cruzamento de nomes de vanguarda dentro de um conceito de evolução musical. É neste sentido que se fundem artistas como o holandês Joris Voorn, um dos mais reputados DJs e produtores da Holanda com Audion, o projecto de linguagem techno musculado de Matthew Dear. Este norte-americano é um dos produtores mais inventivos da actualidade seja em seu nome próprio (basta recordarmo-nos da aventura techno-pop-romantizada de “Asa Breed” em 2007) ou das suas incursões por uma forma vulcânica de techno sob o pseudónimo False. Materializando esta lógica, Audion irá apresentar no Neo Pop uma sessão de intermedia, cruzando musica e vídeo-arte num espectáculo único a não perder.

Da Alemanha chegam ainda os Pan Pot (Mobilee), que têm reinterpretado a dança e o eclectismo bem para lá do techno mais ortodoxo vindo de Berlim, ou o francês Paul Ritch (Get Physical | Quartz), sinónimo de uma jovem aragem musical de França, fora da órbita maximal ou do revivalismo Daft Punk. Ainda com a ideia de novas gerações Alex Under (Net 28), simboliza como a Espanha se tem afirmado na electrónica moderna com uma geração de artistas singulares. A dupla germânica Wighnomy Brothers (Freude Am Tanzen) e Paul Kalkbrenner, da editora Bpitch Control, o produtor berlinense que figurou no já-filme-de-culto da geração techno do séc.XXI “Berlin Calling” são mais dois nomes em cartaz. Do contingente nacional destaca-se a presença de Expander, Freshkitos, Miguel Rendeiro e Re:Áxis.

O Neo Pop promete ser um festival em permanente busca pelas sonoridades mais vanguardistas e pelos conceitos progressistas de música de dança electrónica. São aguardadas milhares de pessoas por dia, entre as 22h e a manhã seguinte. O preço do bilhete para os três dias é de apenas 40 EUR, em regime de venda antecipada (50 EUR no dia de início do festival). O acesso diário custará 20 EUR.

------------------------
LINEUP OFICIAL NEOPOP™ 2009
------------------------

QUINTA 13 AGOSTO

22.00h - Fulano 47 / Tata
00.00h - Freshkitos
02.15 h - Reboot
03.30h - Joris Voorn
05.00h - James Holden

SEXTA 14 AGOSTO

22.00h - Manu
00.00h - Hedonic 2
01.30h - Re: Axis
02.30h - Paul Ritch
04.00h - Audion
05.30h - Expander
07.00h - Alex Under

SÁBADO 15 AGOSTO

22.00h - Poupa
00.00h - Miguel Rendeiro
01.30h - Magazino
03.00h - Guy Gerber
05.00h - Paul Kalkbrenner
06.30h - Whighnomy Brothers

AFTER-HOURS

09.00h - José Belo
10.00h - João Maria
11.00h - Gruber & Nuerenberg
13.00h - Nuno Di Rosso

Paulo Furtado e Música no Coração Entendem-se

Depois do incidente marcante do Sudoeste 2009 artista e organização entendem-se como se pode ler na Blitz:

Música no Coração pede desculpa a Tiger Man e já trabalha numa "colaboração futura"
À BLITZ, fonte da Música no Coração admitiu erro na sobreposição de concertos. Por seu turno, músico emitiu comunicado - leia-o aqui.
Continua a dar que falar o abandono de palco de Paulo Furtado, aka Legendary Tiger Man, no segundo dia do festival Sudoeste TMN.

Perturbado com o volume do som que vinha do espaço Groovebox, o português recusou-se a tocar mais do que música e meia, abandonando o palco, pedindo desculpa aos espectadores e lamentando a "falta de respeito pelos artistas".

À BLITZ, fonte da Música no Coração admitiu que houve um erro.

"Respeitamos a decisão do Legendary Tiger Man de sair de palco. Pedimos desculpa ao artista, foi um erro nosso", afirmou Paula Oliveira.

"Com todas as trocas de horários, calhou um concerto como o dele, mais despido, coincidir com a actuação dos headliners do espaço Groovebox", explicou ainda, antes de revelar que a Música no Coração já se encontra "a trabalhar com [Paulo Furtado] numa colaboração futura".

Por seu turno, Paulo Furtado emitiu um comunicado no qual volta a justificar a sua decisão.

"As razões que me levaram a suspender o concerto e abandonar o recinto do festival são, julgo eu, de fácil compreensão. Devido ao volume de som proveniente do Palco Groovebox durante a minha actuação, era absolutamente impossível para alguém que tenha o mínimo respeito pelo público, por si mesmo e pela sua música, actuar".

"Depois da primeira música isso tornou-se absolutamente claro para mim, e julgo que também para o público presente. Esperei que o som baixasse para níveis razoáveis, e isso não aconteceu".

"Para que compreendam perfeitamente o significado que dou ao cancelamento de ontem, queria apenas dizer-vos que apenas uma vez, em 20 anos de música, eu abandonei um palco sem terminar um concerto. Espero, sinceramente, nunca mais ter que o fazer", remata Paulo Furtado, pedindo ainda desculpa aos convidados Rita Reshoes, Claudia Efe e João Doce e aos espectadores. "Espero que nos encontremos em breve, em circunstâncias mais felizes".

10 agosto 2009

José Mário, Fausto e Sérgio "enfim juntos" em palco

A ideia é antiga mas não tinha sido concretizada. José Mário Branco, Fausto Bordalo Dias e Sérgio Godinho estão a preparar um espectáculo conjunto, para estrear em finais de Outubro, a que foi dado o título Três Cantos e o subtítulo Enfim Juntos. Um e outro resumem o que pode dizer-se desta reunião inédita. O primeiro fixa a diferença e a singularidade dos três cantores e compositores, há mais de três décadas com carreiras e estilos bem definidos no contexto da chamada música popular portuguesa; o segundo dá conta da novidade que é juntarem-se para construir um espectáculo a três vozes.

Não é a primeira vez que os três se cruzam em palcos. Em 1974, logo a seguir ao 25 de Abril, com José Mário Branco e Sérgio Godinho recém-chegados do exílio e Fausto prestes a lançar o seu segundo álbum, que começara a gravar em Madrid, fizeram os três parte do Colectivo de Acção Popular, criado na madrugada de 1 de Maio, que pretendia "pôr a actividade musical" ao serviço das enormes transformações sociais e políticas que começavam nesse mês em Portugal. Nesse período, houve vários concertos em que, com José Afonso e Adriano Correia de Oliveira, entre muitos outros (como José Jorge Letria ou Manuel Freire), subiram ao palco para cantar canções mobilizadoras.

Nos anos que se seguiram, cada um foi cimentando uma via muito própria para a sua música, a partir de uma mesma matriz popular e moderna: José Mário Branco explorando as potencialidades das contribuições corais e até sinfónicas, Fausto Bordalo Dias inovando na utilização do riquíssimo património da música de raiz tradicional e Sérgio Godinho aprofundando a ligação entre a música portuguesa e o universo do rock e da pop.

CD e DVD ao vivo

Mais recentemente, no disco O Irmão do Meio, de Sérgio Godinho, José Mário Branco fez com ele um dueto em Que força é essa. Isso foi em 2003. Em 2004, foi a vez de José Mário Branco convidar Fausto e Sérgio para duetos em canções do seu disco Resistir é Vencer, Fausto no Canto dos torna-viagem e Sérgio em Pão-pão. A participação estendeu-se também aos concertos de apresentação ao vivo do disco, Fausto em Lisboa e Sérgio no Porto.

Agora, concretizando uma ideia que vem já desses anos, os três estão a trabalhar em conjunto, com maior intensidade desde Abril passado, para um espectáculo que não pretende ser uma mera soma de partes. Em palco, deverão apresentar-se os três juntos, com um grupo de músicos ainda não revelado ou só com as suas guitarras, mas também em duo e a solo, cantando músicas próprias ou dos restantes parceiros. Ou talvez algum tema inédito, fruto deste trabalho conjunto que será gravado para editar em CD e DVD.

Os concertos Três Cantos, só hoje anunciados pela Vachier & Associados, que os promove, como "um encontro histórico" entre três "referências não só musicais mas também poéticas do que é cantar em português", estão marcados para o Campo Pequeno, em Lisboa, a 22 de Outubro, e para o Coliseu do Porto, a 31 desse mesmo mês. Os bilhetes, segundo a mesma fonte, serão postos à venda já no dia 13 de Agosto, "nos locais habituais".

Notícia do Público

Festival Sudoeste, 4º Dia: Confissões adolescentes


A noite de encerramento do Sudoeste não trouxe nenhuma surpresa que retirasse aos Faith No More o título de melhor concerto. Lily Allen cumpriu na estreia em Portugal.

Perto das duas da manhã de segunda feira, dia 10, ainda muitos milhares queimavam os últimos cartuchos ao som do concerto dos Basement Jaxx. Era a recta final de uma maratona que começou quatro dias antes e que confirmou o Sudoeste como um enorme acampamento adolescente de férias com música pelo meio. Os concertos nem sempre são o mais importante para os sudoesteanos, e por isso, não foi de estranhar a falta de actuações memoráveis para a memória do festival.

Na última noite, a expectativa era grande para a estreia da rebelde Lily Allen. A britânica cumpriu embora só tenha contagiado o público na parte final da actuação quando se soltou mais, e aí foi ver o público de dedo do meio em riste gritando bem alto «Fuck You», canção do novo disco «It`s Not Me, It`s You». Lily provocou co a mensagem que trazia nas costas da sua T-shirt («Love Me Two Times») e pouco mais.

Ainda menos desafiante esteve Amy McDonald que se esforçou por dar corpo a um concerto que viveu à volta do êxito «This Is the Life» Quem nunca desilude em palco é a turma de Marcelo D2 que repetiu a festa vivida há uns anos na anterior passagem do brasileiro pelo Sudoeste. A arte do barulho veio reforçada com temas do novo disco o que foi sinónimo de qualidade acrescida. Nota alta, pois, para mais um concerto do rapper sambista. A maratona do Sudoeste termina deixando a Zambujeira voltar à sua paz natural nos próximos tempos. Para o ano há mais.

in disco digital

09 agosto 2009

Sudoeste, Último Dia: Horários

Palco TMN
Basement Jaxx 01h30
Lily Allen 23h45
Amy Macdonald 22h25
Marcelo D2 21h05
Gomo 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa

Caravan Palace 00h10
Au Revoir Simone 22h50
Bunnyranch 21h30
Virgem Suta 20h30
Anaquin 19h30

Palco Sapo Positive Vibes

Pow Pow Movement 02h00
Junior Kelly 00h15
Third World 22h15
Kalibrados 21h00
Freddy Locks 19h45

Festival Sudoeste, 3º Dia: Uma questão de fé



E ao terceiro dia o Sudoeste ganhou a verdadeira dimensão de um grande festival de música com o regresso dos Faith No More, recebido em delírio.

Até às 23h30 do dia 8 de Agosto, o Sudoeste ainda não tinha vivido um momento verdadeiramente excitante e relevante no que à música diz respeito. O aproximar da hora marcada para a aparição de Mike Patton e seus companheiros trouxe uma movimentação de fãs até agora inédita. O que se viveu depois vai ficar na memória colectiva da edição deste ano e, quiçá, da história do festival. Uma banda, milhares de fãs em delírio, canções que tanto agitam como embalam, uma empatia única entre músicos e admiradores, ou seja o sentimento de comunhão que torna a música tão especial.

O último concerto da banda havia sido há mais de um mês na Finlândia. Por isso, os Faith No More chegavam a Portugal frescos para esta nova etapa da digressão. Foi um reencontro quente com Mike Patton a revelar muito boa disposição logo com uma entrada em cena à Dr. House apoiado na sua bengala. Impecavelmente vestido não demorou muito a soltar todo o seu génio que tanto o transforma em vocalista diabolicamente possuído como o leva a cantar em tom de crooner romântico. Arriscou cantar em português esforçado o tocante «Evidence», perguntou mais do que uma vez quem é que tinha estado no concerto que encerrou actividades em 1998 (quando ainda eram uma banda «real», brincou Patton), desceu às primeiras filas para dar voz ao público e recorreu ao megafone e à habitual maquinaria que nos habituámos a ver nas suas visitas com os Tomahawk e Mr. Bungle. Dois encores nem pareceram muito quando vemos que tudo somado a actuação não passou a hora e meia de duração. A banda pareceu divertir-se, e a plateia agradeceu reagindo, e tolerando todos os devaneios dos Faith No More. Foi muito bom, mas hora e meia ainda soube a pouco.

De qualquer maneira foi a hora e meia que marcou terceira noite do festival deixando para segundo plano todos os esforços competentes dos Jet, Blind Zero e X-Wife. Foi a noite Faith No More, e do resto não rezará a história.

Ainda assim, alguém avise os Blind Zero para evitar versões. Se a leitura para «Where`s My Mind» (Pixies) nada acrescentou ao original, a de «Enjoy The Silence» (Depeche Mode) foi um homicídio digno de Charles Manson.

O concerto nem foi mau mas estes dois momentos tornaram-se demasiado infelizes. Bem melhores, os X-Wife mostraram que a máquina está bem oleada. Os Jet esforçaram-se, berraram, gritaram mas sem consequências de maior.

in disco digital

Sudoeste: Faith no More, o Alinhamento do Melhor Concerto do Festival


(Foto: TMN Mosh)

1. Reunited
2. Land of Sunshine
3. Caffeine
4. Evidence
5. Surprise, You're Dead!
6. Last Cup of Sorrow
7. Cuckoo For Caca
8. Easy
9. Ashes To Ashes
10. Midlife Crisis
11. I Started A Joke
12. The Gentle Art of Making Enemies
13. King For A Day
14. Be Aggressive
15. Epic
16. Just A Man

Encore

17. Stripsearch
18. Ugly In The Morning

Encore

19. Midnight Cowboy
20. We Care A Lot

08 agosto 2009

Dia Faith no More

É Hoje!

Legendary Tigerman - O Grande

Ao fim do primeiro tema, Legendary Tigerman abandonou o palco Planeta Sudoeste queixando-se do ruído do espaço Groovebox.

«Ou baixam a puta da música ou vou-me embora», disse Paulo Furtado. A ameaça seguiu por diante e o «homem tigre» só regressou para se despedir do público que se tinha deslocado ao palco secundário para o ver.

O concerto serviria para apresentar o novo álbum «Femina», a editar em Setembro. A acompanhá-lo estariam músicos convidados, entre os quais a actual namorada Rita Redshoes.

Festival Sudoeste, 2º Dia: Caldo verde e pão tigre

Para a história da edição 2009 do Sudoeste fica uma segunda noite dominada pela língua portuguesa. Inevitavelmente, o momento alto foi de Paulo Furtado que virou costas ao fim de uma música!

Não se pode dizer que o cartaz desta segunda noite a nível de palco principal tenha sido especialmente atraente para quem procura nestes festivais contacto com bandas fora do circuito nacional de concertos, mas a verdade é que a presença de Mariza acabou por juntar um número apreciável de festivaleiros. Em ambiente familiar, os «sudoestanos» aderiram aos fados mais balançados e festivos, também porque a fadista fugiu à lógica do caldo verde e do pão com chouriço. Surpresa das surpresas a versão de «Hedonism» dos Skunk Anansie faltou. Mariza há muito que sabe estender o fado ao conceito largo da world music e passou o teste da Zambujeira com distinção.

Também em português os Deolinda consumaram o seu êxito. No ano passado tinham contagiado a tenda do palco secundário com a sua leitura contemporânea do fado. Este ano chegaram ao palco principal com algumas surpresas, como a presença de bailarinas e uma secção de sopros. Merecida ascensão, embora não tenham arrastado propriamente uma multidão para o imenso espaço em frente ao palco. Acabaram em cima de um autocarro no meio da multidão num dos momentos mais inesperados e originais da noite.

Shaggy, uma das grandes estrelas do dancehall, pode orgulhar-se de ter recebido um enorme calor humano do público ao qual correspondeu com um concerto que entusiasmou e convenceu a tribo do reggae. De toda a programação do palco Positive Vibes, foi o nome maior de sempre, sinal da capacidade de resposta desta produtora.

Ainda no palco principal há a destacar que foi em português que a noite abriu com Carlinhos Brown. O cartaz era fraco mas, mesmo assim, Madcon e Zero 7 conseguiram estar abaixo dos mínimos exigidos, sobretudo os últimos com um soporífero capaz de adormecer um consumidor compulsivo de Red Bull. Muito longe das memórias que tínhamos dos discos com arranjos melódicos, e canções com doces vozes. Agora são só instrumentais experimentais desconexos.

E o momento marcante deste segundo dia também foi registado em bom português. Paulo Furtado não se conformou com o ruído que vinha da Groovebox e ameaçou abandonar o palco logo à primeira música. Como o barulho não diminuiu, o concerto de Legendary Tigerman terminou ali mesmo com Furtado a pedir desculpa aos seus fãs e a virar costas ao Sudoeste. Em bom português!

07 agosto 2009

Pet Shop Boys actuam em Novembro em Portugal

Os britânicos Pet Shop Boys actuam a 25 de Novembro no Coliseu do Porto e no dia seguinte no Campo Pequeno, em Lisboa, informou hoje a produtora Media Capital Entertainment. O grupo de pop electrónica, formado por Neil Tennant e Chris Lowe, editou em Março o álbum "Yes", que apresentará ao público português numa digressão europeia intitulada "Pandemonium on tour".

"Yes", décimo disco de estúdio, conta com produção da equipa de produtores da Xenomania e a participação dos músicos Johnny Marr (Smiths) e Owen Pallett (Final Fantasy).

O álbum inclui temas como "Love, etc", "Did you see me coming?" e "All over the world", que inclui um excerto de uma composição de Tchaikovsky.

Os Pet Shop Boys, que surgiram em 1981, receberam este ano o prémio de música Brit pelo conjunto da carreira. São uma das mais duradouras bandas de pop electrónica da actualidade, com um estilo musical que não tem feito grandes concessões à mudança dos tempos ao longo de quase trinta anos.

O grupo, que actuou pela primeira vez em Portugal apenas em 2004, é responsável por temas como "West End Girls", "Suburbia", "Go West", "It´s a Sin" e por uma versão de "Allways on my mind".

De acordo com a promotora, os bilhetes serão colocados à venda a partir da próxima semana

SW09 Dia 2 - Programa

Palco TMN
Zero 7 01h45
Deolinda 00h15
Mariza 22h40
Madcon 21h20
Carlinhos Brown 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa

Legendary Tigerman 01h30
The Pinkertones 23h05
Muchachito Bombo Infierno 22h10
Pastora 21h00
It's Not Not 20h00

Palco Sapo Positive Vibes
Soundquake ft. Coornadoor 01h45
Shaggy 00h00
Tok 22h00
Marrokan and the Charly Skank Band 20h45

Groovebox
Magazino 03h30
João Maria 02h00
Âme + Henrik Schwarz + Dixon 23h30
António Alves 22h00
DJ Tiago 21h00

Festival Sudoeste, 1º Dia: A culpa é do Sistema



Os Buraka Som Sistema arrasaram na noite de arranque oficial do 13º Festival Sudoeste. Foram eles os responsáveis pelo maior ajuntamento no palco principal, pouco concorrido no resto da noite.

Até à aparição da banda portuguesa o palco principal não chamou a atenção dos festivaleiros que nesta primeira noite andaram muito dispersos pelo recinto e parque de campismo. A excepção foi o espaço Positive Vibes onde o «massivo« amante do reggae enche sempre o espaço, mesmo que não veja mais que uma cortina de fumo. Collie Buddz e Anthony B contribuiram para a festa com boas actuações...e vibrações

Mas até o fiel público do reggae abandonou por momentos o seu habitat para se juntar à multidão que recebeu e vibrou com o grande concerto dos Buraka Som Sistema. Hoje, estamos na presença de um grupo habituado às multidões, que apresenta um espectáculo capaz de ombrear com uns Chemical Brothers ou uns Groove Armada. Sem exagero. Com a ajuda dos Tocá Rufar, e com excertos de gente como os Metallica, AC/DC, ou The Prodigy, o diamante negro do disco é lapidado ao vivo e ganha facilmente o título de melhor concerto da noite. Sem grande concorrência, assinale-se.

Para quem já viu os The National em outras ocasiões não deixará de estranhar o facto de terem tido tão reduzida plateia neste seu regresso. A qualidade da actuação merecia muito mais público mas a banda fez valer o famoso chavão «poucos mas bons» voltando a mostrar toda a cumplicidade que tem conquistado com os fãs no nosso país. Mas o Sudoeste não é certamente o anfiteatro ideal para uma música que tem álcool, é certo, mas que pede mais intimidade do que uma tez bronzeada.

Os The Veils não tiveram muitos fãs para poderem convencer ou conquistar, e Macaco tentou animar as hostes mas não foi bem sucedido, por culpa da banalidade das suas canções. No palco secundário, nenhum concerto conseguiu escapar à mediania e o atraso nos horários previstos também não terá ajudado.

in disco digital

06 agosto 2009

SW09 Dia 1 - Programa

Palco TMN
Armin Van Buuren 01h20
Buraka Som Sistema 23h30
Macaco 22h20
The National 21h05
The Veils 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa
Ebony Bones 01h00
Ladyhawke 23h30
Devotchka 22h10
Marcelo Camelo 21h05
Mallu Magalhães 20h00
dR.estranhoamor 19h00

Palco Sapo Positive Vibes
Soundbwoys Destiny 01h45
Anthony B 00h00
Collie Buddz 22h30
Cool Hipnoise 21h00
Innastereo 19h45

Groovebox
D.I.S.C.O. Texas Showcase 03h00
Miss Kittin & The Hacker 02h00
Intelectronik 00h00
Fritus Potatoes Suicide 22h30
Photonz 21h00

Sudoeste Dia Zero


Era este o aspecto do recinto frente ao palco principal ontem à tarde. Hoje espera-se a primeira grande enchente no arranque oficial do SW09.

05 agosto 2009

Já em Mil Fontes

Instalado no centro de Mil Fontes pronto para os próximos dias de concertos no Sudoeste 2009.

04 agosto 2009

03 agosto 2009

Major Lazer



Os irrequietos americanos DJ Diplo e Switch acabam de lançar uma nova proposta com desvarios jamaicanos. Ramificações reggae apontadas ao modernos dancehall com cúmplices de respeito como Santigold.
Major Lazer é a personagem que representa o novo reggae e com Diplo e Switch nos comandos só podia dar resultado bombástico. Disco já editado a pedir para ser descoberto e divulgado que conta com músicas como este excelente "Hold The Line" com Mr. Lexx e Santigold:

Major Lazer - "Hold The Line" ft. Mr. Lexx and Santigold

Paredes de Coura já Com Datas Para 2010

A organização do Festival Paredes de Coura anunciou, em conferência de imprensa, que o festival se realiza, em 2010, entre 28 e 31 de Julho.
Contentes com o sucesso em tempos de crise - terão passado por cada noite do festival cerca de 23 mil pessoas - os responsáveis da Ritmos não quiseram adiantar nomes para o cartaz de 2010.

Vem aí o Sudoeste 2009 - Horários

5 de Agosto (quarta-feira)
Miguel Psi 02h00
David Guetta 00h20
John Revox 23h10
FUNKyou2 22h00

Groovebox
Steve Bug 03h00
Zé Salvador + André Cascais 01h30
José Belo 00h00
Gruber & Nuernberg 22h30
Heartbreakerz 21h00


6 de Agosto (quinta-feira)
Palco TMN
Armin Van Buuren 01h20
Buraka Som Sistema 23h30
Macaco 22h20
The National 21h05
The Veils 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa
Ebony Bones 01h00
Ladyhawke 23h30
Devotchka 22h10
Marcelo Camelo 21h05
Mallu Magalhães 20h00
dR.estranhoamor 19h00

Palco Sapo Positive Vibes
Soundbwoys Destiny 01h45
Anthony B 00h00
Collie Buddz 22h30
Cool Hipnoise 21h00
Innastereo 19h45

Groovebox
D.I.S.C.O. Texas Showcase 03h00
Miss Kittin & The Hacker 02h00
Intelectronik 00h00
Fritus Potatoes Suicide 22h30
Photonz 21h00


7 de Agosto
Palco TMN
Zero 7 01h45
Deolinda 00h15
Mariza 22h40
Madcon 21h20
Carlinhos Brown 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa
Legendary Tigerman 01h30
The Pinkertones 23h05
Muchachito Bombo Infierno 22h10
Pastora 21h00
It's Not Not 20h00

Palco Sapo Positive Vibes
Soundquake ft. Coornadoor 01h45
Shaggy 00h00
Tok 22h00
Marrokan and the Charly Skank Band 20h45

Groovebox
Magazino 03h30
João Maria 02h00
Âme + Henrik Schwarz + Dixon 23h30
António Alves 22h00
DJ Tiago 21h00


8 de Agosto
Palco TMN
Etienne de Crécy 01h45
Faith No More 23h30
Jet 22h10
Blind Zero 21h00
X-Wife 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa
X-Press 2 01h00
Róisín Murphy 23h40
Low 22h20
Giro Florcaveira 21h00
John Is Gone 20h00
Dr1ve com Lúcia Moniz 19h00

Palco Sapo Positive Vibes
Saxon Sound System 01h45
Ky-Mani Marley 00h00
Mad Caddies 22h00
Richie Campbell and the Abassy Band 20h45

Groovebox
Stereo Addiction 03h30
Freshkitos 01h30
Matthias Tanzmann 23h30
Hugo Santana 22h00
Mary B 21h00


9 de Agosto
Palco TMN
Basement Jaxx 01h30
Lily Allen 23h45
Amy Macdonald 22h25
Marcelo D2 21h05
Gomo 20h00

Palco Planeta Sudoeste/Jogos Santa Casa
Caravan Palace 00h10
Au Revoir Simone 22h50
Bunnyranch 21h30
Virgem Suta 20h30
Anaquin 19h30

Palco Sapo Positive Vibes
Pow Pow Movement 02h00
Junior Kelly 00h15
Third World 22h15
Kalibrados 21h00
Freddy Locks 19h45

Groovebox
Rui Vargas 03h00
Sebo K 01h00
Raresh 23h30
Tozé Diogo 22h00
Kaspar 21h00

Depeche Mode em Lisboa em Novembro

Os Depeche Mode confirmaram no seu site oficial um concerto no Pavilhão Atlântico , em Lisboa , a 14 de Novembro (sábado).
Bilhetes à venda na Ticketline.

01 agosto 2009

Nine Inch Nails Em Grande em Paredes de Coura

Excelente concerto de Trent Reznor e companheiros ontem à noite. Valeu a pena a longa viagem de Lisboa a Coura.